Polícia

"Enterrado na lavanderia": o que se sabe sobre corpo de PM reformado encontrado concretado na casa de amigo

Theo Chaves | 21/06/24 - 18h15
Foto: Reprodução/PC-AL

A Polícia Científica de Alagoas esteve, na manhã desta sexta-feira (21), no local onde o corpo do cabo reformado da Polícia Militar Sérgio Murilo Nobre da Silva foi encontrado concretado, e começou a fazer os primeiros levantamentos sobre a morte do policial. 

O principal suspeito do crime, que seria uma amigo da vítima, foi preso e confessou ter enterrado o corpo do policial no quintal da própria residência. Além de descrever o passo a passo da ocultação do cadáver, o homem ainda disse que a morte teria sido motivada por um desentendimento entre ele e o policial, de 61 anos. 

Sérgio Murilo Nobre da Silva estava desaparecido desde fevereiro deste ano. Foto: Arquivo Pessoal

Após o suspeito apontar o local onde havia enterrado o corpo do amigo, a Polícia Civil acionou uma equipe do Corpo de Bombeiros, que montou uma operação de resgate e levou cerca de duas horas para retirar o cadáver de dentro da cova. 

Veja o que se sabe sobre o crime

  • De acordo com a perícia, o corpo do policial foi encontrado enterrado na região da lavanderia de uma residência, que está localizada no bairro Manoel Teles, em Arapiraca. O corpo estava dentro de uma cova com 60 cm de profundidade;
  • O suspeito usou uma laje de concreto para ocultar o corpo do cabo reformado. Os policiais precisaram da ajuda do Corpo de Bombeiros de Alagoas para retirar a vítima do local. Ao todo, cinco militares levaram cerca de duas horas para retirar o corpo de dentro da cova;
  • De acordo com os familiares, a vítima, o Polícia Militar Sérgio Murilo Nobre da Silva, estava desaparecido desde fevereiro. O corpo encontrado enterrado, que estava em avançado estado de decomposição, foi encaminhado para perícia, para confirmar se realmente é do policial que estava desaparecido. 
  • Nos primeiros levantamentos feitos no corpo da vítima, a polícia conseguiu identificar algumas lesões. Uma delas foi uma lesão perfuro-incisa, causada por arma branca, na região torácica da vítima;
  • Ainda segundo a perícia, não foram encontradas manchas visíveis de sangue na residência onde o corpo foi encontrado, porém os peritos constataram que a casa teria sido pintada recentemente;
  • Algumas facas também foram encontradas próximas ao cadáver. Elas foram coletadas e serão periciadas, para saber se há vestígios de materiais genéticos.  
  • A Justiça já decretou a prisão preventiva do suspeito, que vai responder pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver. 

O suspeito de cometer o crime foi preso pela polícia. Ele seria amigo da vítima. Foto: PC-AL