Polícia

"Era cilada": delegado alerta para o golpe do amor no Dia dos Namorados

TNH1 com TV Pajuçara | 12/06/24 - 14h47
Imagem ilustrativa de uma pessoa com o smartphone | Pixabay

"Não era amor, era cilada", já diria o Grupo Molejo. O dia 12 de junho é conhecido tradicionalmente no Brasil por celebrar o Dia dos Namorados, mas a data simbólica também serve de alerta para evitar que pessoas caiam no 'Golpe do Amor'. O delegado Sidney Tenório afirmou, nesta quarta-feira, 12, que a seção de Crimes Cibernéticos da Polícia Civil de Alagoas já chegou a registrar golpes de estelionato que lesaram vítimas em até R$ 150 mil. 

O delegado contou ao Fique Alerta que normalmente esse tipo de golpe é aplicado por homens nas redes sociais. 

"Ele é uma pessoa bem sucedida, geralmente são homens bonitos que terminam se aproximando da vítima, fazendo com que ela ganhe a confiança. Se mostra uma pessoa apaixonada, que promete juras de amor. Mas, em pouco tempo, o discurso muda, vem a questão que a empresa está com algumas duplicatas precisando pagar e ele está com o dinheiro bloqueado. Às vezes a desculpa é de um parente que está doente e precisando de um tratamento caro. E a mulher apaixonada, acreditando que vai viver aquela história de amor para a vida inteira, começa a fazer transferências bancárias altas. Temos alguns casos aqui na secção de Crimes Cibernéticos que mulheres levaram golpes de R$ 100 mil, R$ 150 mil, até perceber que na verdade se tratava de um golpista. O homem para quem ela passou uma grande quantidade de dinheiro de repente sumiu".

Tenório falou ainda sobre a reação das vítimas quando percebem que o relacionamento na verdade era um golpe. 

"A vítima quando cai a ficha e percebe que estava sendo vítima de um golpe de estelionato, percebe que o prejuízo foi gigante, por exemplo esse valor de até R$ 200 mil, ela procura a polícia para fazer o procedimento. Ela ainda gosta da pessoa, mas termina ficando envergonhada por ter sido tão imatura, tão inocente, mas a gente sempre fala que a pessoa deve continuar com a apuração, até mesmo porque o golpista que deu o golpe nela vai continuar, porque ele vive disso". 

De olho nos 'emocionados': veja como evitar os golpistas - Especialista em segurança pública, o coronel da reserva da Polícia Militar, Ênio Bolivar, deu orientações para que as pessoas fiquem atentas ao iniciar qualquer tipo de conversa que possa evoluir para um relacionamento. 

"Tem características básicas desse tipo de golpe. São declarações rápidas de amor. Imagine que está conhecendo uma pessoa agora e, rapidamente, essa pessoa diz que lhe ama, expressando amor, isso de forma muito rápida. Nisso você já deve ligar o seu sinal de alerta porque pode ser golpe. Outra coisa: inconsistência de histórias. Prestar atenção aos detalhes. Esses golpistas geralmente têm inconsistências em tudo que estão falando e tratando ali. Vez por outra eles vão cair em contradição, vão dizer histórias que não são conexas". 

Outro ponto que o especialista chama a atenção é quando a outra pessoa não quer aparecer ou começa a pedir dinheiro. 

"Se a pessoa evitar encontros presenciais ou conversas por vídeos, é outra característica desse tipo de golpe. A pessoa não quer aparecer, não quer ser vista por vídeo. E também se a pessoa solicitar dinheiro. A pessoa quer um relacionamento afetivo com você e já está te pedindo um dinheiro emprestado ou cartão emprestado. Esses golpistas vão usar aqueles pretextos de um familiar doente, emergência médica ou algum problema financeiro para que você caia nesse tipo de golpe. Outra coisa importante também é a questão do perfil. Se você conseguir visualizar o perfil e ver que tem poucas fotos, informações vagas, poucos amigos ou seguidores, isso pode ser suspeito".  

Mas o alvo é apenas o público feminino? - Bolivar ressalta que os homens também são mirados neste tipo de crime. 

"A cada dez mulheres, quatro são vítimas. Mas esse tipo de golpe também acontece com os homens. Principalmente quando há marcação de encontros. Geralmente o homem é levado para um encontro e, nesse encontro, acontece um sequestro, o golpe, a abordagem, pois aquela mulher está envolvida com uma quadrilha, que vai lhe sequestrar, roubar o seu veículo e, às vezes, levar a vítima até a morte", alertou.