Futebol Nacional

Fábio está fora do Cruzeiro: 'A SAF quer encerrar minha carreira'

UOL | 06/01/22 - 09h09 - Atualizado em 06/01/22 - 09h13
Bruno Haddad/Cruzeiro

Jogador que mais vezes vestiu a camisa do Cruzeiro e ídolo de várias gerações de torcedores, o goleiro Fábio usou o Instagram para comunicar que não é mais atleta do clube estrelado. O arqueiro, de 41 anos, postou uma longa carta para explicar a situação aos cruzeirenses e lamentou bastante a decisão tomada pela nova gestão do clube, agora comandado por Ronaldo.

No texto escrito por Fábio, ele não poupou críticas aos responsáveis pela Sociedade Anônima do Futebol (SAF) do Cruzeiro, que foi adquirida pelo ex-atacante no mês passado. De acordo com o atleta, os novos dirigentes tentaram acabar com sua carreira antes mesmo do início da temporada: "A SAF Cruzeiro quer encerrar minha carreira imediatamente, mesmo estando em plenas condições físicas e técnicas para continuar jogando em alto nível e ajudando o Cruzeiro".

Fábio havia renovado com o Cruzeiro por mais uma temporada, no fim do ano passado, ainda tratando com o presidente Sérgio Santos Rodrigues. Mas com a venda de 90% das ações da SAF para Ronaldo, o cenário mudou completamente. O goleiro deixou claro que a decisão de romper o vínculo foi exclusiva da equipe do Fenômeno, pois ele se mostrou aberto a receber menos, como também havia feito em 2020.

"De todo o meu coração, segui para o clube feliz e tranquilo, aberto a escutar e ajudar no que fosse preciso, mas para minha surpresa a atual diretoria foi clara que não deseja contar comigo desportivamente para 2022", postou Fábio. Ele também reclamou da postura de Paulo André, gestor do futebol do Cruzeiro, com quem o goleiro jogou na temporada 2015.

"Na reunião estava presente o diretor executivo Pedro Martins e Gabriel Lima, representando a atual gestão. Paulo que estava na sala ao lado, não teve sequer a consideração de me cumprimentar, sendo ele um ex-companheiro de clube".

A ruptura promete ser o primeiro choque da nova administração do Cruzeiro com a torcida, depois de uma resposta otimista ao anúncio de compra do time por Ronaldo. A reação dos cruzeirenses nas redes sociais, em um primeiro momento, é de lamentar a despedida do ídolo e criticar a decisão do clube.

Com 976 jogos, no clube desde 2005, Fábio desejava fazer o jogo 1.000 pelo Cruzeiro. Até foi dado a ele a opção de renovar por apenas três meses, algo que o próprio goleiro recusou. "Os três meses que me ofereceram de contrato só aumentariam a minha dor pela despedida. Ajudar a levar o Cruzeiro de volta para a Série A era o meu maior sonho. Queria muito tentar muito mesmo. Dói escrever isso".

O Cruzeiro vai se manifestar em breve sobre a saída de Fábio.