Eleições

Facebook remove mais de 140 mil conteúdos no Brasil por violarem políticas contra interferência eleitoral

G1 | 23/11/20 - 16h45 - Atualizado em 23/11/20 - 16h49
Reprodução

O Facebook divulgou nesta segunda-feira (23) que removeu mais de 140 mil conteúdos que violavam políticas contra interferência eleitoral nesta rede social e no Instagram durante a campanha do 1º turno das eleições municipais.

De acordo com a empresa, eles continham "informações que poderiam desencorajar eleitores de irem votar, como por exemplo o horário errado de abertura das urnas".

Também nesse período foram rejeitadas 250 mil submissões de anúncios (conteúdos impulsionados) sobre política ou eleições que não continham o rótulo "Propaganda Eleitoral" ou "Pago por", direcionadas a pessoas no Brasil.

Segundo o Facebook, desde agosto, qualquer pessoa ou organização que quiser fazer publicidade sobre política ou eleições no país precisa passar por um processo de autorização, confirmando sua identidade e residência no Brasil.

A companhia disse ainda que cerca de 3 milhões de pessoas acessaram um aviso fixado no topo do Feed de Notícias que convidava os eleitores a se prepararem e conferir os protocolos sanitários para o dia da votação no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Além do Instagram, o Facebook é dono do WhatsApp.