Maceió

'Foi um grande mal entendido', diz prefeito JHC sobre convite para vacina a Carlinhos Maia

Paulo Victor Malta | 20/01/21 - 11h31 - Atualizado em 20/01/21 - 12h05
Reprodução / Instagram

Após a polêmica envolvendo o suposto convite da Prefeitura de Maceió para o humorista e influencer Carlinhos Maia receber a dose da CoronaVac e divulgar a campanha de vacinação, o prefeito de Maceió, João Henrique Caldas (JHC), disse nesta quarta-feira, 20, que a situação já foi esclarecida e que não passou de um mal entendido.

O prefeito respondeu sobre o assunto após ser questionado em entrevista coletiva durante a cerimônia que marcou o início da vacinação em Maceió, que ocorreu na manhã de hoje, no PAM Salgadinho. 

"Na verdade, foi um grande mal entendido. Já foi esclarecido. Todos os protocolos que foram publicados, estão nas minhas redes. Antecipadamente, inclusive, acredito que a Prefeitura de Maceió foi a primeira a fazer isso, colocamos de forma clara, seguindo todos os critérios do próprio Governo Federal. [Vacinação] Nem isso seria possível, nem eu, nem você, nem o próprio secretário, enfim, nem quem está aqui, os critérios são pré-definidos. Impossibilidade de toda natureza, acredito que já esclarecido", comentou o gestor municipal. Ouça no link abaixo

JHC não entrou em detalhes sobre o convite citado por Calinhos Maia e não comentou sobre a entrada do Ministério Público Estadual no assunto. 

"Ninguém terá prioridade", diz promotor sobre possíveis privilégios

Em entrevista à Rádio Pajuçara FM Maceió, na manhã desta quarta-feira, o promotor de Justiça, Paulo Henrique Prado, da 67ª Promotoria de Justiça (da Saúde), afirmou que o órgão de fiscalização está atento para que ninguém fora da lista de prioridade do Plano Estadual de Vacinação tenha privilégio. 

"Sim, chegou ao conhecimento do Ministério Público, é um fato notório e público, veiculado pelo próprio influencer, que teria recebido esse convite. O Ministério Público tem o papel fundamental de preservar a lisura do processo de vacinação, por conta disso, a minha promotoria específica abriu um Procedimento Preparatório para apurar o fato, verificar em que circunstâncias esses fatos se deram, se realmente aconteceu ou não, e deixar claro para a sociedade que estamos atentos", detalhou o promotor, acrescentando em seguida: 

"Pode ser autoridade pública, procurador, promotor de justiça, desembargador, jornalista, chefe de governo, ninguém terá prioridade, somente aqueles que estão na lista. É uma lista pensada pelo SUS para preservar as vidas daqueles que efetivamente estiveram ao longo desses 10 meses na linha de frente, protegendo a sociedade. Precisamos preservar essa força de trabalho nesse momento que se avizinha, que podemos ter uma segunda onda pesada, esses profissionais de saúde precisam estar imunizados", enfatizou o promotor.

Entenda o caso

A polêmica sobre o tema começou na segunda-feira, 18, quando Carlinhos Maia publicou em seu perfil no Twitter que foi convidado para ser um dos primeiros alagoanos a receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19. A afirmação causou imediata repercussão, tendo em vista que o influencer não faz parte do grupo de risco prioritário que será imunizado neste momento, de acordo com o Plano Estadual de Imunização. 

O Ministério Público de Alagoas (MPE-AL) emitiu nota no mesmo dia para informar que ia instaurar procedimento preparatório para apurar o caso.

Diante da polêmica, Carlinhos Maia gravou vários vídeos para explicar que o convite para realizar uma campanha partiu do prefeito de Maceió, João Henrique Caldas (JHC), para incentivar a vacinação contra Covid-19 na capital.

Hoje o prefeito se manifestou e esclareceu que o assunto não passou de um mal entendido. Ainda assim, o procedimento preparatório foi instaurado pelo MPE-AL e deve ser concluído até um período de dois meses, de acordo com o promotor.