Alagoas

MPE vai apurar suposto convite para Carlinhos Maia tomar vacina contra Covid-19 em Alagoas

Redação TNH1 | 18/01/21 - 18h33 - Atualizado em 18/01/21 - 18h44
Reprodução

Após o humorista Carlinhos Maia publicar em seu perfil no Twitter, nesta segunda-feira (18), que foi convidado para ser um dos primeiros alagoanos a receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19, o Ministério Público de Alagoas (MPE-AL) emitiu nota para informar que vai instaurar procedimento preparatório para apurar o caso. Por meio do comunicado, o MPE promete garantir, com o rigor da lei, a lisura e a legalidade da vacinação em Maceió e em todo estado.

A publicação de Carlinhos Maia causou polêmica nas redes sociais, tendo em vista que as primeiras doses destinadas a Alagoas serão direcionadas aos profissionais da Saúde da linha de frente, à população indígena aldeada, e aos idosos com mais de 75 anos que vivem em abrigos. 

"Me convidaram aqui no meu estado para ser um dos primeiros a tomar a vacina. Não acho justo com quem ficou em casa todo o esse tempo, não aceitei. Mas filmarei mesmo assim para incentivar ainda mais a vacinação dentro do público que me segue. Lembrando que a ideia, era pela divulgação, por que tem gente que ainda tem medo de tomar a vacina. Mas farei a divulgação mesmo assim". escreveu o humorista. 

Por meio de suas assessorias de comunicação, o Governo de Alagoas e a Prefeitura de Penedo, cidade natal de Carlinhos Maia, negaram que tivessem feito o convite à celebridade. A Prefeitura de Maceió também foi procurada pela reportagem do TNH1, mas até a publicação dessa matéria não havia se pronunciado. 

Leia a nota do MPE na íntegra:

O Ministério Público de Alagoas (MPAL), por meio da 67ª Promotoria de Justiça da Saúde, diante dos fatos narrados pelo influencer Carlinhos Maia, irá instaurar procedimento preparatório para apurar a afirmação de que teria recebido o convite para posar como uma das primeiras pessoas a ser vacinada contra a Covid-19 em Alagoas.

Ministério Público, no seu papel constitucional, preservará, com o rigor da lei, a lisura e a legalidade da vacinação em Maceió e em todo estado.