Nordeste

Fundador do 'Cheiro de Amor' diz que bloco volta apenas para festejar 40 anos

Metro 1 | 05/02/20 - 13h00 - Atualizado em 06/02/20 - 11h56
Reprodução

O fundador do Bloco Cheiro de Amor, Windson Silva, afirmou hoje (5), em entrevista à Rádio Metrópole, que a dificuldade financeira e a falta de patrocínio foram os principais motivos para a agremiação deixar de desfilar no Carnaval de Salvador.

“Contabilizando cachê de banda, todas as despesas, para colocar um bloco na rua hoje não venha com uma planilha que tenha um planejamento para gastar menos de R$ 250 mil, R$ 300 mil, por dia. Hoje tem taxa até para pesar o trio elétrico, então se não tiver patrocínio, não dá para colocar o bloco na rua”, disse Windson. 

O bloco volta à folia neste ano, em homenagem aos 40 anos do Cheiro de Amor. Apesar disso, o empresário explicou que vai ser um retorno especial, mas não tem planos para que a agremiação volte à ativa anualmente.

“Não tenho essa ideia, estou pensando em fazer a comemoração dos 40 anos e só pensar depois o que vamos fazer daqui pra frente. Passei três anos fora da gestão, quando voltei ao meu trabalho na banda Cheiro de Amor, há oito meses, senti necessidade de colocar o bloco, porque queria fazer os 40 anos”, afirmou ele.