Polícia

Homem que sobreviveu a atentado em Marechal segue em estado estável

Redação TNH1 | 24/07/20 - 09h54 - Atualizado em 24/07/20 - 10h14
Itawi Albuquerque/TNH1

O Hospital Geral do Estado (HGE) informou, na manhã desta sexta-feira, 24, que José Valter da Silva Santos, de 54 anos, vítima do atentado a tiros no município de Marechal Deodoro ocorrido nesta semana, foi transferido para a Área Verde e se encontra na enfermaria da unidade. O estado de saúde do homem é considerado estável.

José Valter deu entrada no hospital às 20h47 da última quarta, 22, em decorrência de ferimentos causados por arma de fogo no braço direito, nas costas e na bacia. Ele passou por procedimento cirúrgico e ficou internado na Área Vermelha Trauma, sob os cuidados da ortopedia.

A assessoria do HGE revelou que não há previsão para alta médica, já que houve necessidade de cirurgia. 

Atiradores falam de vingança

As investigações da Polícia Civil sobre o atentado que deixou duas pessoas mortas e José Valter ferido descobriram que o crime foi motivado por vingança.

De acordo com informação do chefe de Operações da Delegacia de Marechal Deodoro (17º DP), agente Antonio Augusto, os dois homens presos logo após o crime, em uma ação conjunta das polícias Civil e Militar, disseram que resolveram se vingar do homicídio cometido contra uma prima deles, fato ocorrido em 4 de maio de 2014.

Entenda o caso

Duas pessoas morreram e uma ficou ferida após um atentado a tiros no bairro de Taperaguá, em Marechal Deodoro, na noite dessa quarta-feira (22). Os dois suspeitos dos disparos foram capturados por militares da 5ª Companhia Independente (5ªCIA/IND). Um acidente de trânsito envolvendo um veículo que socorria uma das vítimas foi registrado logo depois na AL-215 e mais cinco ficaram feridos.

De acordo com a PM, a guarnição recebeu uma denúncia sobre uma suposta chacina na Rua dos Cajueiros. Ao chegar no local, os agentes descobriram que três pessoas foram baleadas e já haviam sido resgatadas. Já os autores dos disparos haviam fugido.

Neildes Rocha da Silva, 48 anos, uma das vítimas baleadas, foi colocada no carro Chevrolet/Clássic para ser levada para o Hospital Geral do Estado, em Maceió. Porém, o automóvel bateu de frente com um outro carro de mesmo modelo durante o trajeto. O esposo dela, José Francisco da Silva, que conduzia o carro, e Marcela dos Santos, que também auxiliava a vítima, ficaram feridos. Neildes não resistiu e morreu no local. 

Walterline Rocha dos Santos, 34 anos, chegou a ir para o hospital em outro veículo que não se envolveu em acidente, mas não resistiu aos vários ferimentos causados pela arma de fogo e morreu na unidade. Já José Valter da Silva Santos, 54, foi socorrido com vida e está hospitalizado.