Brasil

Jogador do Náutico faz parto da filha em portaria de prédio, em Recife

Superesportes PE | 02/10/20 - 07h24 - Atualizado em 02/10/20 - 07h27
Arquivo Pessoal

Fora da listagem de jogadores relacionados do Náutico há três partidas, o lateral direito Bryan assumiu a titularidade em um episódio incomum, tanto quanto inesquecível, na manhã desta quinta-feira. Às pressas, foi ele quem deu o suporte necessário à esposa, Myllena Barbosa, no momento em que Cecília, filha do casal, chegou ao mundo. E para completar a experiência, em vez de um hospital, o primeiro encontro da família aconteceu na portaria de um prédio em Apipucos, bairro da zona norte do Recife.

Os primeiros sinais foram dados pela criança enquanto o pai ainda estava no clube alvirrubro, mas sem muito alarde. Momentos depois, já com Bryan de volta, o casal foi se deitar, e no início da manhã deste primeiro de outubro, o jogador pôde dar às boas-vindas para sua filha.

"Myllena teve umas contrações ontem de tarde, mas bem leves, eu tava na fisioterapia do clube e ela mandou mensagem. Ela falou que eu não precisava me preocupar, aí quando terminei a fisioterapia fui encontrar ela”, relembrou inicialmente.

“Fomos dormir achando que não ia acontecer mais nada. Às cinco da manhã ela acordou. Deu um pulo e me chamou falando que a bolsa tinha estourado. Eu olhei para o chão e já tinha saído o tampão (muco que se produz no colo do útero durante a gestação)”.

Depois da cena, o casal entrou em contato com os profissionais que iriam realizar o processo. E de acordo com o médico, em pouco mais de meia hora se encontrariam no hospital. Essa era a ideia. “Ligamos para o doutor e a doula e perguntamos a eles o que fazer. O médico disse que em quarenta minutos a gente se encontrava no hospital, e achávamos que ia dar certo”, comentou.

Enquanto isso, as contrações eram intensificadas. E o tempo diminuía ainda mais. Bryan revelou também que apesar das dores, a esposa se manteve segura e distante de qualquer aperreio. “Ela foi tomar um banho quente e começou a ter uma contratação atrás de outra, num intervalo de dois minutos. Ela aparentemente estava muito tranquila e não fez cara de dor”.

O jogador, que em pouco tempo iria atuar como “médico”, também colocou em prática seu lado dançarino, numa estratégia de aliviar as dores e preparar a chegada da filha, que já mostrava não gostar de esperar muito. “Ficamos dançando e fiz carinho nela enquanto as contrações vinham. Eu tava tentando acalmar, e aí ela começou a ter contração mais forte. Começamos a ficar preocupados”, afirmou. 

Recebendo “mais sinais”, Myllena anunciou a Bryan que já era hora. O jogador entrou outra vez em contato com o médico e dessa vez foi ele quem disse o que iria fazer. “Ela disse que achava que ia nascer. Aí liguei de novo para o doutor e disse que estava indo ao hospital. Quando descemos, fui carregando ela no meu braço esquerdo e as malas do direito. Descemos o elevador e ela disse que não ia aguentar andar, pediu para ficar sentada no sofá do prédio”, explicou.

Com a ajuda do porteiro do prédio da irmã de Myllena, que foi buscar o carro para a ida ao hospital, Bryan foi ajustando a melhor posição para a esposa, quando a bebê já pedia para estar do lado de fora. “Quando cheguei na área de lazer do condomínio, pedi para o porteiro pegar o carro. Aí botei Myllena no colo e fui tentando levar para o carro. Ela disse que tava doendo muito e pediu para colocar ela no chão. Quando coloquei, ela botou a mão na vagina e disse que tava sentindo a cabeça dela. Eu botei a mão e a cabeça dela já estava praticamente fora”, contou.

“Botei ela deitada no chão, na portaria mesmo, e fui tentando tirar a calcinha dela e segurando a cabeça da neném. Só deu tempo de tirar, que saiu a neném no meu braço. Eu segurei e disse: ‘amor, nasceu, nasceu!’. Nós dois ficamos muito emocionados”, disse o pai. “Ela chorou um pouco logo que peguei no braço, mas depois fiquei conversando com ela e ela logo parou”, completou emocionado.

Hospital

Já com Cecília fora da barriga, a família enfim conseguiu chegar ao hospital. Anunciando orgulhoso a chegada da criança, Bryan comentou os primeiros cuidados que mãe e filha receberam após o parto.

“Quando chegamos no hospital, paramos o carro e eu já saí gritando que minha filha tinha nascido. A galera veio junto para tirar Myllena do carro e foram fazendo os cuidados. Ela foi na maca e a neném junto. Já nascida, literalmente”, disse.

Com destinos diferentes no hospital, agora a família já está unida novamente e preparada para as próximas aventuras. Que não têm hora para acontecer.

“Myllena foi para a sala de cirurgia e fez os procedimentos. E a neném foi para a pediatra. Agora, graças a Deus, tá tudo bem, tudo perfeitamente bem”, encerrou.