Brasil

Justiça decreta sigilo nas investigações de acidente que matou Teori Zavascki

23/01/17 - 16h21 - Atualizado em 23/01/17 - 16h22
Agência Brasil

Na tarde desta segunda-feira (23), o juiz Raffaele Felice Pirro, da 1ª Vara Federal de Angra dos Reis, determinou que as investigações sobre o acidente aéreo que matou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator da Operação Lava-Jato, Teori Zavascki, na última quinta (19), vão ser mantidas em segredo de Justiça.

O inquérito para apurar as causas do acidente está sob a responsabilidade do delegado chefe da Polícia Federal (PF) em Angra, Adriano Antonio Soares. Outro inquérito também foi aberto pelo Ministério Público Federal (MPF) e a investigação está sendo comandada pela procuradora da República Cristina Nascimento de Melo.

Na última sexta-feira (20), o MPF requereu à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) as gravações das últimas conversas do piloto durante o voo. A Força Aérea Brasileira (FAB) confirmou que o avião tinha um gravador de voz. O órgão também solicitou a entrega de documentos relativos à manitenção da aeronave, além de estar colhendo depoimentos de provas testemunhais.