Maceió

Laudo aponta causa da morte de menino que deu entrada na UPA com dor de dente

Redação TNH1 | 18/01/22 - 17h14
Cortesia

A direção do Serviço de Verificação de Óbito (SVO) informou na tarde desta terça-feira, 18, que a morte do menino Carlos Miguel Ferreira do Nascimento, de apenas 10 anos de idade, foi causada por Síndrome Infecciosa Febril "a esclarecer". O garoto deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Tabuleiro dos Martins, parte alta de Maceió, na segunda-feira, 17, com dor de dente e faleceu ainda no local. 

"Foi colhido paralelamente material histopatológico e enviado para o Lacen para o diagnóstico definitivo. Na declaração de óbito entregue à família consta causa clínica (causa natural)", comunicou o SVO em nota.

O corpo do pequeno Carlos Miguel Ferreira do Nascimento foi velado e sepultado nesta terça-feira, na zona rural de União dos Palmares, na Zona da Mata de Alagoas

Além dele, Isabelly dos Santos, de 07 anos, deu entrada na mesma UPA no último dia 02 com febre e dores no corpo, foi atendida e recebeu alta. Dias depois, a menina voltou a passar mal e retornou à UPA onde foi novamente liberada pela equipe médica. Insatisfeitos, após a segunda alta, familiares levaram a menina ao Hospital Geral do Estado (HGE), onde ela morreu logo em seguida.

"A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) esclarece que determinou a apuração dos fatos relacionados aos atendimentos dos pacientes I.T.S., de 7 anos, e C.M.F.N., de 10 anos, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Tabuleiro, e que tomará as medidas cabíveis, caso necessárias, após a conclusão do processo", disse a Sesau em nota. 

Ministério Público cobra explicações - Ao TNH1, o promotor de Justiça Magno Moura, que está atuando no caso enquanto presidente do Conselho Estadual de Defesa Direitos Humanos, informou que é preciso entender "o absurdo de uma criança entrar na unidade com dor de dente e evoluir para óbito".

"Tomamos a decisão de acompanhar esse caso e vamos requerer que o Conselho Regional de Medicina e de Enfermagem façam uma visita técnica à localidade para verificar se estão sendo seguidos os protocolos adequados para atendimento à população infanto-juvenil e se encontram algum tipo de irregularidade para que possamos notificar a Secretaria de Estado da Saúde [responsável pela administração da UPA]", disse Magno Moura.

Inicialmente, o caso está sendo investigado pelo delegado Alcides Andrade, mas será repassado ao delegado Oldemberg Paranhos, titular do 5º Departamento de Polícia (5º DP).