Alagoas

Marcelo Tadeu diz que sequer foi ouvido como testemunha no inquérito sobre atentado que teria ele como alvo

TNH1 | 09/04/21 - 12h58 - Atualizado em 09/04/21 - 16h35

O juiz aposentado Marcelo Tadeu concedeu nesta sexta-feira, 09, entrevista coletiva para falar sobre o indiciamento pela Polícia Federal do delegado-geral da Polícia Civil de Alagoas, Paulo Cerqueira, como mandante do atentado que resultou na morte do advogado Nudson Harley, em 2009, mas que teria como alvo o então magistrado.

O crime aconteceu em 2009. “Esses 12 anos [de espera pela solução do caso] têm a ver exatamente com o que está nesse conteúdo [do inquérito]. Não estou surpreso porque a conduta dele, à época, hoje entendo claramente”, afirmou Marcelo Tadeu.

Veja alguns trechos do que Tadeu disse na coletiva e assista ao vídeo no final da matéria.

Primeiro, tenho a certeza dem que, infelizmente que toda aquela ação criminosa que ceifou a vida do advogado Nudson, teria sido realmente para minha pessoa. Ação essa que esteve vinculada à minha atuação como juiz que fui 26 anos aqui em Alagoas". 

“Abruptamente, desisti de entrar na farmácia e fui para a oposta. Assim que entrei já na outra farmácia, ouvi tiros, fiquei observando. Perguntei a uma senhora o que tinha acontecido e ela contou que dois homens tinham atirado. Em seguida, fiquei sabendo que, na situação, um suspeito avisou para o outro que tinha matado a pessoa errada e que eu estava trajado com roupas parecidas com as da vítima"

"Ele [Paulo Cerqueira] tem a obrigação de dar uma resposta, mas cuidou de maquiar um inquérito. Preste conta de suas atitudes, diga porque não quis me ouvir esses anos todos, justifique, responda. Ele sequer me ouviu como testemunha".

 “Esses 12 anos [de espera pela solução do caso] têm a ver exatamente com o que está nesse conteúdo [do inquérito]. Não estou surpreso porque a conduta dele, à época, hoje entendo claramente”, afirmou Marcelo Tadeu.

“Uma decisão dessa natureza, arbitrária e tão cruel, só pode ter relação com a minha atuação contra a gangue fardada,  intervenção no grupo sucroalcooleiro, depois a minha intervenção em municípios do interior onde anulei títulos de eleitor”,

“Esse fato mudou minha vida muito, mexeu muito comigo, muito, e principalmente na estrutura do Poder Judiciário. Eu não aguentava olhar para aquela estrutura, fazia tinha vergonha, eu tinha até nojo. Eu não dormia mais”.