Brasil

Médico que morreu em avião ajudou a implantar única unidade pública de oncologia de Roraima

G1 | 26/04/22 - 11h10 - Atualizado em 26/04/22 - 11h35
Médico piauiense morre em avião a caminho de lua de mel | Foto: Reprodução

O médico oncologista Glauto Tuquarre, de 49 anos, que morreu em um avião, quando viajava para a lua de mel com a esposa, atuou na elaboração do projeto da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia de Roraima (Unacon-RR), o único da rede pública no estado.

De acordo com a Secretaria de Saúde (Sesau), a atuação do médico na rede pública estadual foi curta, mas importante para a saúde em Roraima. A passagem dele pelo estado ocorreu em 2005.

Em nota, a Sesau lamentou a morte do médico manifestando profundo pesar e estendendo os votos de solidariedade aos familiares e amigos do profissional.

Glauto e a esposa, a publicitária Lícia Dutra Tuquarre, se casaram no sábado (23), em Teresina . Depois de ter começado a passar mal e relatar dores no peito, Glauto foi socorrido por passageiros que estavam a bordo, mas não resistiu.

O avião pousou em Doha, capital do Catar, por volta das 10h20 (horário de Brasília) desta segunda, para uma conexão originalmente prevista na rota.

Familiares e amigos se mobilizaram para ajudar a esposa de Glauto a trazer o corpo de volta ao Brasil. Até a última atualização desta reportagem, não havia informações sobre a data do traslado.

Quem era Glauto - Ele tinha mestrado em câncer de intestino e era doutorando em recidiva do câncer de mama (retorno da doença após o paciente ser considerado curado).

Considerado um profissional experiente, Glauto atuou em Roraima e no Maranhão, onde também foi professor da universidade estadual, além do Piauí.

Em Teresina, o médico era sócio de uma clínica e também já lecionou em faculdades de medicina.