Mundo

Menino pediu irmão por anos e cuidou dele como um herói quando nasceu prematuro

Vix | 15/10/18 - 10h21 - Atualizado em 15/10/18 - 10h26
Foto tirada pela mãe Jessica Marotta

A espera por um irmãozinho traz consigo a necessidade de dividir o que era só seu com outra pessoa e não estamos falando de repartir brinquedos ou o controle da TV, mas sim a atenção, o amor e o carinho dos pais. Mikey Marotta não sentiu ciúmes ou insegurança com a chegada do caçula, pelo contrário, ele desejou e esperou cada segundo pelo irmão. 

Segundo a mãe, Jessica Marotta, ele pede um irmão desde que aprendeu a formar suas primeiras frases. O pequeno Jake, o irmão caçula, chegou ao mundo ainda muito prematuro, mas Mikey dedicou tempo, carinho e cuidou do irmão com um verdadeiro herói.

Após nascer, Jake foi encaminhado à UTI neonatal. Mikey não via a hora de conhecer seu irmão mais novo e ao olhar para ele, disse: "ele tem cabelo vermelho igualzinho a mim!".

Mikey visitava o irmão todos os dias, mas até o décimo dia, ele não teve nenhum contato pele a pele com Jake. "Ele estava cheio de tristeza por não poder segurar seu irmãozinho", contou Jéssica.

No 10º dia, Jessica conversou com as enfermeiras e elas liberaram o primeiro toque entre os irmãos. Quando Mickey pegou Jake no colo pela primeira vez, sua reação foi linda e muito emocionante.

A expressão no rosto de Mikey ao segurar Jake transpareceu o quanto ele estava grato e comovido em finalmente ter o irmão mais novo em seus braços. "Foi incrível e emocionante. Eu realmente acredito que se tornou a base para o seu vínculo fraternal", afirmou Jessica.

O contato entre as peles, aliás, não é só um "abraço". Ele ajuda a confortar o bebê e a regular variáveis como temperatura corporal, batimentos cardíacos e pressão.

Relação entre irmãos

"Jake passou 62 dias na UTI e seu retorno foi um dos dias mais felizes de nossas vidas", contou Jessica.

Desde que chegou em casa, o mais velho não desgruda de seu irmãozinho. Ele continua cuidando com muito carinho do bebê que tanto desejou: dá mamadeira, ajuda a trocar fralda, lê para ele, ri e até chora com ele.

Veja as fotos:

(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)
(Foto tirada pela mãe Jessica Marotta)

Jessica conta que a relação dos filhos é muito especial e que Mikey conhece Jake como ninguém. "Mikey é um incrível irmão mais velho e ter Jake trouxe uma calma para a vida dele. Além disso, somente Mikey dá um jeito de acalmar Jake quando ele está chorando".

A mãe acredita que um foi colocado no destino do outro: "É como se os dois estivessem destinados a serem irmãos. Não há dúvida de que Mikey nasceu para ser o irmão mais velho de Jake e Jake nasceu para ser o irmão mais novo que Mikey sempre desejou", finalizou Jessica.

Dificuldade de engravidar

Jessica e Michael, o marido e pai das crianças, começaram a tentar o segundo filho quando Mikey tinha 3 anos. Ela enfrentou dificuldade para engravidar e, em uma das tentativas, conseguiu, mas na 11ª primeira semana de gestação perdeu o bebê.

Após o trauma, eles se mudaram para uma nova casa e os pais decidiram que deveriam se acostumar com uma família de três pessoas. Daí para frente, toda vez que Mikey pedia um irmãozinho, eles explicavam que talvez houvesse uma chance de ele não ter.

No entanto, após a mudança, Jéssica começou a suspeitar que poderia estar grávida e decidiu fazer um teste, que deu positivo. Ela e Michael não conseguiam crer. "Meu marido mal podia acreditar e me fez fazer mais dois testes só para ter certeza". Embora estivessem felizes com a gravidez, eles também sentiam medo por causa de todos os problemas que já haviam enfrentado e não queriam que Mikey ficasse desapontado novamente.

Tudo corria bem e Mikey até gravou um vídeo para contar à toda a família que ganharia o tão desejado irmãozinho. Mas durante o ultrassom da 18ª semana, Jessica descobriu que o feto sofria de Restrição de Crescimento Intra-Uterino (RCIU), bebês que, por alguma razão, não atingiram o tamanho esperado para a idade gestacional.

"Eu estava grávida de 23 semanas, mas nosso bebê estava medindo o equivalente a cerca de 5 semanas a menos", contou Jéssica, que teve o direito de decidir interromper a gravidez, já que havia risco de morte uterina.

Ela e o marido optaram por manter o bebê e seguir em frente com a gestação. Jessica foi internada com 26 semanas de gestação e, após um mês, Jake nasceu.