Alagoas

Mirante Cineclube realiza II Mostra Quilombo de Cinema Negro em formato virtual

Assessoria | 20/11/20 - 09h43 - Atualizado em 20/11/20 - 09h45
Divulgação

O oceano como elemento de travessia e correntezas, o cinema como um lugar de movimento e transformação. Movido pela inquietação e necessidade de discutir e provocar os olhares sobre a presença e a construção negra no audiovisual, o Mirante Cineclube promove, a partir desta sexta-feira (20) a II Mostra Quilombo de Cinema Negro. O evento traz a temática “Atlântico Negro”, remetendo ao conceito de Paul Giroy, e será inteiramente em formato online. Os filmes, que buscam fugir às simplificações étnicas e trazer a diversidade resultante da diáspora negra, podem ser assistidos até o dia 25/11 no blog da Mostra (http://mostraquilombodecinema.wordpress.com).

“São 19 filmes em curta-metragem, sendo três deles convidados especialmente para a Mostra”, conta Janderson Felipe, integrante do cineclube e um dos curadores do evento, junto com Beatriz Vilela, Lucas Litrento e Rose Monteiro, também membros do Mirante. São eles: Tudo que é apertado rasga, com direção de Fabio Rodrigues Filho, da Bahia; Pattaki,  de Everlane de Moraes, uma parceria Cuba/Brasil; e Mwany, do alagoano Nivaldo Vasconcelos. Além desses, também será exibido como convidado, na “abertura” das atividades, o longa metragem alagoano Cavalo, dirigido por Rafhael Barbosa e Werner Bagetti.

“Cavalo será o único filme em que será necessário login e senha para assistir. O espectador deve preencher uma ficha que estará disponível em nosso blog”, explica Janderson. No blog do evento, os interessados também podem encontrar a programação completa, além das fichas técnicas dos filmes e entrevistas com realizadores. “É também uma ótima oportunidade pra conhecer um pouco mais sobre as obras e sobre o processo de realização e seus responsáveis”, acrescenta Rose Monteiro.

A programação, no entanto, não se limita à disponibilização dos filmes: desde setembro, em parceria com o portal Alagoar, o grupo vem realizando debates com outros realizadores de mostras e festivais de cinema negro de todo o Brasil. As lives foram transmitidas pelo canal do Mirante Cineclube no youtube (http://youtube.com/MiranteCineclube) e, como foram gravadas, podem ser acessadas a qualquer momento. Durante os dias da Mostra, é lá que o público poderá conferir outros debates e bate-papos sobre cinema e negritude: já nesta sexta-feira, às 20h, acontece uma “mesa-redonda” com os curadores. No sábado (21), às 16h, será transmitido um bate-papo com o professor, pesquisador e crítico de cinema, Bernardo Oliveira.

Na segunda-feira (23/11), às 20h, a pauta será a “Participação Negra no Cinema Alagoano”, com as atrizes Wanderlândia Melo e Ticiane Simões e o realizador Ulisses Arthur. As discussões encerram na terça (24/11), com Lu Silva, montadora, mestre em Comunicação e Sociedade (UFS), curadora e membro do SERCINE - Festival Sergipe de Audiovisual e da Egbé – Mostra de Cinema Negro de Sergipe. Lu vai falar sobre “A Montagem para (Re)Construir, (Re)Encenar e (Re)Escrever a memória”
 
Histórico e parcerias

Apesar de estar apenas em seu segundo ano, a Mostra Quilombo já pode ser considerada um evento relevante dentre os realizados no chamado “Novembro Negro”. No ano passado, a primeira edição lotou por três dias o Cine Arte Pajuçara, unindo ainda música, poesia e artes visuais de artistas alagoanos. Antes disso, em 2018, o Mirante Cineclube já havia promovido a Sessão de Cinema Negro, também um sucesso de público. A ânsia dos espectadores e dos cineclubistas para ver e discutir as obras de realizadores negros, aliada à grande demanda por espaços de exibição dessas produções, levou o grupo a ampliar a programação e manter o evento mesmo durante a pandemia, ainda que em outro formato.

“É um momento bem difícil, mas temos a ciência que a Mostra Quilombo de Cinema Negro contribui para a cena artística de Maceió e não poderíamos deixar de produzir mesmo um ano marcado pela pandemia. O Mirante Cineclube assumiu a responsabilidade de trazer o protagonismo, a estética e as narrativas negras por meio desse evento”, destaca Rose Monteiro, que ressalta o trabalho maior de produzir o evento nesse formato “mas também temos outros ganhos. Realizamos entrevistas com os diretores e diretoras. Conversamos com os cineastas e perceber o filme pelo olhar deles, isso é fantástico”.  

Na opinião de Rose, a importância de eventos que enfoquem a questão negra está justamente na construção de uma visão mais ampliada das narrativas, formas e estéticas negras. Para ela, essas obras “trazem o protagonismo negro fora de narrativas estereotipadas ligadas à violência e o tráfico. Por meio do cinema podemos escrever outras histórias e ter o direito de fabular”.

No total, a Mostra Quilombo recebeu este ano 79 inscrições de filmes de todo o Brasil, das quais foram escolhidos 16 curtas, divididos em três sessões: Rastros, Afluências e Devir. Cada uma das sessões conta com um filme convidado. Além de acompanhar a programação, o público interessado pode escrever sobre os filmes assistidos e enviar suas críticas para o portal Alagoar, parceira do evento, juntamente com a Núcleo Zero, Animal Coletivo e Tequilla Bomb.

Programação

Filmes (Exibições no blog http://mostraquilombodecinema.wordpress.com entre 20 e 25/11)

Cavalo, dir. Rafhael Barbosa e Werner Bagetti - AL (Filme de Abertura)
OBS: será necessário preencher um formulário para obtenção de login e senha

Sessão Rastros
Cajá dos Negros, dir. Israel Oliveira - AL
Joãosinho da Goméa - O Rei do Candomblé, dir. Janaina Oliveira ReFem e Rodrigo Dutra - RJ
Princesa do meu lugar, dir. Pablo Monteiro - MA
Ser Feliz No Vão, dir. Lucas Rossi - RJ
Socialights | Jorge Lafond, dir. Noah Mancini - MG
Tudo que é apertado rasga, dir. Fabio Rodrigues Filho- BA (filme convidado)

Sessão Afluências
Ditadura Roxa, dir. Matheus Moura- MG
incêndio, dir. Grenda Costa - CE
Live, dir. Adriano Monteiro - ES
marvin.gif PART II, dir. Marvin Pereira - BA
Pattaki, dir. Everlane de Moraes - CU/BR (filme convidado)
Você Já Tentou Olhar Nos Meus Olhos?, Tiago Felipe - PR

Sessão Devir
Estação Aquarius, dir. Fernando Brandão, Flávia Correia, Jairis Meldrado, Levy Paz, Rayane Góes e Ticiane Simões - AL
Faixa de Gaza, dir. Lúcio César Fernandes - PB
Meninos Rimam, dir. Lucas Nunes - SP
Mwany - AL, dir. Nivaldo Vasconcelos (filme convidado)
Perifericu, dir. Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda e Vita Pereira - SP* (dia 20 a 22)
Receita de Caranguejo, dir. Issis Valenzuela - SP
Saneamento Trágico, dir. Zazo - AL

Debates e Bate-papos (exibição pelo http://youtube.com/MiranteCineclube)

20/11 - 20h – Mesa com a Curadoria da Mostra Quilombo: Beatriz Vilela, Janderson Felipe, Lucas Litrento e Rose Monteiro
21/11 - 16h - Bate-papo “Atlântico Negro no Cinema”, com Bernardo Oliveira
23/11 - 20h - Mesa “Participação Negra no Cinema Alagoano”, com Wanderlândia Melo, Ticiane Simões e Ulisses Arthur
24/11 - 16h - Bate-papo “A montagem para (re)construir, (re)encenar e (re)escrever a memória”, com Lu Silva

Parceiros:
Núcleo Zero, Alagoar, Animal Coletivo e Tequilla Bomb