Alagoas

Modelo alagoana recebe alta no Rio e é aguardada para tratamento em AL

Redação TNH1 | 30/10/20 - 15h05 - Atualizado em 30/10/20 - 15h19
Reprodução / Redes Sociais

A modelo alagoana Eloísa Fontes, de 26 anos, é aguardada por equipes de assistentes sociais do programa Anjos da Paz, da Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev), para possivelmente realizar tratamento em Alagoas. Desde o início de outubro, ela estava internada em um hospital psiquiátrico do Rio de Janeiro.

Um amigo da família informou ao TNH1 que a modelo recebeu alta do Instituto Municipal Phillipe Pinel, no Rio de Janeiro, no final da tarde da última quarta-feira (28). A mãe de Eloísa já estava no Rio desde terça-feira e ficou com a filha na casa desse amigo da família. As duas embarcaram de ônibus com destino a Paulo Afonso, na Bahia, para depois chegar em Piranhas. 

A assessoria de comunicação da Seprev disse que a equipe de Anjos da Paz irá buscá-la na rodoviária e fará a triagem para identificar se realmente se trata de um caso para encaminhamento para uma comunidade acolhedora ou para outro tipo de serviço, de acordo com a real necessidade da modelo. 

"O contato com a nossa equipe foi feito diretamente pela equipe do serviço social do Instituto Municipal Phillipe Pinel, no Rio de Janeiro, que ligou para nosso Centro de Acolhimento de Dependentes Químicos de Santana do Ipanema e articulou a chegada da modelo. Só poderemos informar se ela será acolhida ou não por nossas comunidades após o atendimento de triagem da nossa equipe, na presença da modelo", explicou a Seprev.

Entenda o caso

Natural de Piranhas, Sertão de Alagoas, Eloísa Fontes ganhou destaque no mundo da moda, se tornou modelo internacional, mas passou a ter problemas com diganóstico de bipolaridade, aliado ao uso de entorpecentes.

Eloísa teve casos de desaparecimento em Nova Iorque e, um ano depois, no Rio de Janeiro. Ela chegou a ser resgatada em estado de desorientação e situação de rua por assistentes sociais cariocas no Morro do Cantagalo, na zona sul do Rio de Janeiro. Desde então ela estava internada para tratamento.