Interior

Monitores de segurança sofrem suposto atentado quando chegavam ao Presídio do Agreste

30/07/18 - 17h30 - Atualizado em 31/07/18 - 08h34

Dois monitores da empresa Reviver, que participa da gestão do Presídio do Agreste, em Girau do Ponciano, no Agreste de Alagoas, foram surpreendidos por tiros, na estrada de acesso à unidade prisional, quando chegavam para trabalhar, por volta das 19h desse domingo, 29.

Por meio de áudios que foram compartilhados nas redes sociais, funcionários comentam o suposto atentado e alertam aos demais colaboradores sobre o perigo de passar pelo local.

Uma equipe do agentes penitenciários chegou a fazer rondas, mas não conseguiu localizar os autores dos disparos.

“Nós ficamos sabendo do ocorrido, mas não conseguimos identificar o que fato aconteceu, se foi um atentado contra a vida dos colaboradores da Reviver, ou foi uma tentativa de assalto”, disse Petrônio Lima, vice-presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindapen).

Segundo ele, o Sindapen já fez um pedido ao governo do estado para desapropriar os terrenos no entorno no presídio. “As pessoas começaram a construir casas, algumas servem para que visitantes façam pernoite, outras já estão servindo de moradia. É um local que pode ser usado por integrantes de facções, para saber os horários de troca de turno, horários de chegada e saída de agentes”, alertou Petrônio.

Por meio de sua assessoria, a Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (Seris)informou que tão logo tomou conhecimento do fato acionou uma equipe do Comando de Operações Penitenciárias (COP), que fez rondas no local, mas não conseguiu identificar os supostos atiradores.

A Seris também vai analisar as imagens das câmeras de segurança do entorno do presídio para tentar localizar os suspeitos.