Trânsito

Número de vítimas de acidentes de trânsito reduz 26% durante pandemia, em AL

Dados do Departamento de Trânsito levam em consideração atendimentos em hospitais da capital e interior

Agência Tatu | 25/07/20 - 09h07 - Atualizado em 25/07/20 - 09h17
Imagem de arquivo | Divulgação / BPRv

Com menos carros nas ruas devido às medidas de isolamento social, o número de vítimas de acidentes de trânsito diminuiu em Alagoas. De março a junho deste ano, período em que as principais medidas de restrição entraram em vigor, 2.018 vítimas foram atendidas no Hospital Geral do Estado (HGE), o que representa uma redução de 26,4% em relação ao ano anterior, quando 2.741 pessoas foram atendidas no hospital em decorrência de acidentes de trânsito. 


Foto: Agência Tatu

A análise, realizada pela Agência Tatu, tem como base os dados do Departamento de Trânsito de Alagoas (Detran/AL). O órgão leva em consideração apenas os registros de atendimentos às vítimas que deram entrada em hospitais públicos, como o HGE, que recebe pacientes da capital, região metropolitana e municípios próximos. 

A redução é um reflexo das medidas de isolamento social, viagens canceladas e feriados restritos, o que diminuiu significativamente o movimento em ruas, avenidas e rodovias de Alagoas. Mas segundo chefe de segurança no trânsito do Detran, Renan Silva, essa redução no número de vítimas de acidentes poderia ser ainda mais significativa.

“Uma das justificativas para não ter sido tão mais significativa é que Alagoas teve um dos piores desempenhos em isolamento social do Brasil. A agência In Loco que faz o estudo do isolamento social, estima que estamos na ordem de 40% de isolamento. Ou seja, as pessoas estão em relativo isolamento. É um bom percentual, mas poderia ser melhor”, explica Renan.

A análise apontou ainda que os atendimentos por atropelamentos diminuíram 34%, sendo a redução mais significativa do período. Depois aparecem os acidentes envolvendo bicicletas e as colisões, com reduções de 30% e 29%, respectivamente. Já em relação aos atendimentos decorrentes de acidentes com motos, a redução foi de 21%. 


Foto: Agência Tatu

Os capotamentos apresentaram a redução menos expressiva em relação aos outros tipos de acidentes registrados, apenas 19%, passando de 75 pacientes atendidos pelo HGE no ano passado para 61 neste ano. 

Quanto aos acidentes que aconteceram em municípios do Agreste e Sertão, no qual as vítimas foram encaminhadas para o Hospital de Emergência Daniel Houly (HEDH), em Arapiraca, a redução foi de 16%, saindo de 1.073 atendimentos para 891. Essa análise foi feita apenas com base nos atendimentos feitos em março pela unidade, último mês de atualização dos dados, comparados com o mesmo período do ano passado. 

Renan Silva explica que os dados registrados pelos hospitais e divulgados pelo departamento são os mais confiáveis para ter um retrato da segurança viária em Alagoas. “Os hospitais públicos são os mais aptos e capacitados, apesar do estigma que existe em relação ao hospital público. Eles são os mais capacitados para receber vítimas de traumas complexos. Posteriormente, uma vez com a vítima estabilizada, aí sim ela é transferida para um hospital particular, mas já ficou o registro no hospital público”, concluiu o chefe de segurança no trânsito.