Polícia

Operação Senhor do Sol apreende R$ 800 mil em espécie, 35 veículos e prende 10 suspeitos

Redação TNH1 | 10/12/19 - 15h10 - Atualizado em 10/12/19 - 15h38
Divulgação / Ascom MPE

Iniciada na manhã desta terça-feira (10), a Operação Senhor do Sol ainda está em andamento, mas já apresenta um resultado parcial nesta tarde, segundo informações do Grupo de Atuação Especial em Sonegação Fiscal e Lavagem de Bens (GAESF). De acordo com a assessoria do Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE), até o momento foram cumpridos 10 mandados de prisão, apreendidos 3 revólveres e 35 veículos, destes, um montante de oito caminhões baús utilizados para transporte de mercadorias que abasteciam os estabelecimentos comerciais.

O MPE informou ainda que, no cumprimento de mandados de busca e apreensão, também foi encontrada uma boa quantia de dinheiro em espécie, até agora contabilizando R$ 800 mil. A operação apreendeu também notas fiscais e realizou buscas no Cartório do 2º Ofício, de Arapiraca, e no Cartório de Olho D’Água Grande.

Em um vídeo divulgado pela assessoria de comunicação do MPE é possível ver os responsáveis pela operação contando, com a ajuda de uma máquina de contar cédulas, uma parte do dinheiro apreedido. veja:

Entenda o caso

Uma operação realizada no interior de Alagoas cumpre mandados de busca, apreensão e prisão nas cidades de Arapiraca, Craíbas, Girau do Ponciano, Lagoa da Canoa, Olho D’Água Grande e Campo Alegre, nesta terça-feira (10). As investigações apontam que as empresas envolvidas desviaram mais de R$ 108 milhões em impostos.

De acordo com o Grupo de Atuação Especial em Sonegação Fiscal e Lavagem de Bens (GAESF), que está a frente da investigação, 41 empresas, sendo 17 estabelecimentos comerciais, estão diretamente envolvidos. Eles vendiam sem a emissão de documentos fiscais. Quando a emissão de nota ocorria, a mesma era cancelada de maneira fraudulenta e por isso, não recolhiam o ICMS, por Substituição Tributária de diversas mercadorias comercializadas. Eles também usaram artifícios para burlar as regras do regime de benefícios fiscais de atacadistas e constituíram empresas em nome de laranjas. 

Divulgação / Ascom MPE
Divulgação / Ascom MPE
Divulgação / Ascom MPE
Divulgação / Ascom MPE
Divulgação / Ascom MPE
Divulgação / Ascom MPE
Divulgação / Ascom MPE
Divulgação / Ascom MPE

A operação, batizada de “Senhor do Sol”, tem apoio da Secretaria de Segurança Pública (SSP), Grupamento Aéreo, Polícia Rodoviária Federal (PRF), militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Radiopatrulha, Batalhão Policial de Trânsito (BPTran), 3° BPM, DETRAN, bem como auditores da Secretaria da Fazenda. O nome da operação faz referência a um dos principais comerciantes do Agreste de Alagoas que iniciou as suas atividades mercantis, com a maioria das empresas envolvidas nos delitos relacionados, na famosa Rua do Sol, em Arapiraca, principal local do comércio atacadista de alimentos no interior de Alagoas.

Participaram das diligências de buscas e prisões, os promotores de Justiça Cyro Blatter, Guilherme Diamantaras, Kleber Valadares, Carlos Davi, Rodrigo Soares, Thiago Chacon, Ricardo Libório e Bruno Baptista, além do Procurador do Estado, Felipe Castro.