Polícia

Padrasto do menino Danilo é preso suspeito de estuprar enteada

Dayane Laet | 08/11/19 - 06h14 - Atualizado em 08/11/19 - 07h49
Danilo tinha 7 anos quando foi morto | Arquivo Pessoal

A polícia prendeu nessa quinta-feira (7), o padrasto do menino Danilo Almeida Campos, de 7 anos, morto a facadas no mês passado, depois de descobrir que ele já teria cometido crimes como estupro e cárcere privado, praticados em Arapiraca, no Agreste de Alagoas.

Uma comissão de delegados, formada pela Divisão Especial de Investigação e Captura (Deic), participou da investigação e realizou a prisão em Maceió, depois de ouvir a ex-mulher e a enteada do suspeito, José Roberto Morais, que o reconheceu após a divulgação do caso pela imprensa. A ação foi coordenada pelos delegados Bruno Emílio, Eduardo Mero, Fabio Costa e Thiago Prado, da Deic e a Delegacia de Homicídios da Capital. 

Segundo a denúncia, José Roberto espancava a ex-companheira e estuprou a enteada durante oito anos, tempo que foram casados. A denúncia foi feita em 2010. Na época, a menina tinha 11 anos. 

O mandado de prisão foi expedido pelo pelo juiz Alexandre Machado, do Juizado de Violência Doméstica Contra Mulher de Arapiraca. Se condenado, José Roberto Morais responderá pelos crimes de tentativa de homicídio, estupro de vulnerável, lesão corporal e cárcere privado.