Economia

Pesquisa aponta recuperação da confiança de empresários do comércio de Alagoas

Pesquisa da CNC, em parceria com o Instituto Fecomércio Alagoas, demonstra que categoria superou o pessimismo provocado pela pandemia

Ascom Fecomércio | 28/01/21 - 15h48 - Atualizado em 28/01/21 - 15h53
TNH1

Estabilidade. É com esse tom que o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) de dezembro encerra o ano de 2020. O levantamento, elaborado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em parceria com o Instituto Fecomércio Alagoas, apresentou uma leve queda em seu indicador na comparação com o mês anterior, de -0,3%.

O índice registrou no último mês do ano 115,9 pontos, e, apesar de ter sido ligeiramente menor que novembro (116,2 pontos), para o assessor econômico da Fecomércio AL, Victor Hortencio, o resultado obtido demonstra que o aumento da confiança do empresário se manteve estável, principalmente, quando comparado com o período crítico percebido entre junho e agosto, intervalo em que o indicador representou o pessimismo com a situação econômica do país, permanecendo abaixo do piso de 100 pontos.

“Esse panorama cria um movimento nítido de recuperação de confiança do empresariado da capital alagoana, mas que ainda não se equipara aos patamares dos indicadores pré-pandemia”, destaca Hortencio. Na variação anual, o indicador está 10% abaixo do que foi apontado em dezembro de 2019 (128,8 pontos).

Em se tratando dos subíndices da pesquisa, na comparação mensal, o fator Expectativas do Empresário do Comércio sofreu uma queda de 2,6%, o que acabou influenciando na leve baixa obtida no resultado geral após três meses seguidos de alta. De acordo com o assessor econômico, esse registro se deve ao cenário atual da economia, envolto em dúvidas e incertezas em relação ao fim do auxílio emergencial e ao início da vacinação em massa.

Outro dado que puxou para baixo o resultado da pesquisa foi o subíndice Intenções de Investimento, com queda de 1,1%. Entre seus subindicadores, houve redução em dois: Contratação de Funcionários caiu 5,5% e Situação Atual dos Estoques teve variação de -3,9%. Contudo, o subindicador Nível de Investimento das Empresas registrou um crescimento de 7,9%.

Outro aspecto favorável percebido na pesquisa está no subíndice Condições Atuais do Empresário do Comércio, que representa a satisfação quanto às condições correntes ou de curto prazo. Com variação mensal positiva de 4,6%, alcançando os 93,5 pontos, o resultado, apesar de ter sido 15% menor que o registrado no mesmo mês de 2019, está próximo do quadrante otimista (acima dos 100 pontos).

Diante desse contexto, segundo o assessor econômico da Fecomércio AL, o panorama registrado em dezembro indica a continuidade de uma elevação moderada e contínua do índice de confiança do empresário do comércio da capital alagoana, que, mesmo em um ritmo menos robusto, segue crescendo.