Interior

Polícia investiga denúncia de que prefeito do interior de AL teria matado cachorro a pauladas; veja vídeo

Eberth Lins | 24/11/21 - 09h56 - Atualizado em 24/11/21 - 10h46
Animal, segundo a denúncia, foi desovado em um canavial | Foto: Reprodução

A Polícia Civil está investigando se o prefeito de Campestre, na zona da mata de Alagoas, Nielson Mendes da Silva, o Pino, teria matado um cachorro a pauladas na última semana. O caso teria sido registrado na Comunidade Pau Amarelo, na mesma cidade, após o cachorro de um agricultor matar uma galinha da fazenda do prefeito. Assista o relato abaixo:

De acordo com o delegado Leonam Pinheiro, as investigações foram iniciadas com base em vídeos denunciando o caso nas redes sociais. "Agora estamos aguardando as pessoas do vídeo virem à delegacia para prestar depoimento. Sendo confirmado em termos de declarações aquilo que relataram, o prefeito será responsabilizado penalmente pelo crime de maus-tratos que tem pena de até cinco anos de reclusão, acrescentado de um terço do resultado morte do animal", detalhou o delegado. Ainda segundo o delegado, uma pessoa, que pediu para não ter a identidade revelada, já foi ouvida pela polícia.

Segundo a denúncia, o prefeito teria chegado à pequena propriedade, em Pau Amarelo, acompanhado de um segurança, pego um pedaço de madeira que estava próximo e agredido até a morte o cachorro que estava amarrado. Ainda conforme a denúncia, depois de morto, o animal foi amarrado ao carro e arrastado até um canavial, onde foi desovado. 

Resposta do prefeito -  O prefeito Nielson Mendes afirmou que está sendo vítima de armação da oposição e que vai acionar a justiça contra os acusadores. "Nielson Mendes, conhecido como Pino, esclarece que jamais cometeria tamanha crueldade e que não teve qualquer envolvimento com a morte a pauladas de um cão, no acesso ao povoado Pau Amarelo, na semana passada. Pino pede respeito e repudia tamanha baixeza política por parte da oposição", trouxe a nota enviada pela assessoria de comunicação do gestor.