Brasil

Prefeitura diz que 11 pessoas morreram à espera de leitos de UTÏ em Taboão da Serra

Folhapress | 09/03/21 - 14h19
Zanone Fraissat / Folhapress

A Prefeitura de Taboão da Serra (Grande SP) afirmou, nesta terça-feira (9), que 11 pessoas internadas por Covid-19 morreram no município à espera de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Em nota, a administração municipal disse que, desde o dia 3 de março, solicitou a transferência de pacientes graves ao governo estadual, porém, não foi atendida. A cidade conta com leitos de baixa complexidade (onde é possível fazer procedimentos mais simples). Entretanto, essas 11 pessoas precisavam de atendimento de alta complexidade e não puderam ser atendidas.

Somente após o caso se tornar público, segundo a prefeitura, é que o governo estadual informou que liberaria 4 leitos. Porém, há ainda 12 pessoas em situação grave aguardando transferência.

A transferência é determinada pelo Cross (Central de Regulação e Ofertas de Serviços de Saúde). Esse setor é quem analisa as vagas disponíveis, os pedidos feitos e determina para onde o paciente deve ser encaminhado.

A Prefeitura de Taboão da Serra disse não ser competência do município manter leitos de UTI. O que oferece são e leitos de suporte ventilatório (onde é possível fazer a intubação, por exemplo) e enfermaria. "Para atender a crescente demanda por internações em decorrência da COVID-19, a Prefeitura de Taboão da Serra criará, até o final de semana, mais 30 leitos de enfermaria, o que aumentará a capacidade de atendimento em 75%, totalizando 70 leitos exclusivos para COVID-19", afirmou, em nota.

Procurada às 11h30 desta terça-feira (9), a Secretaria Estadual de Saúde não respondeu ao pedido de informações da reportagem. Assim que o fizer, será acrescentado à reportagem.