Maceió

Prefeitura promove inclusão de alunos com deficiência

05/08/18 - 08h32 - Atualizado em 05/08/18 - 08h39
Ilustração/ Internet

Após implementar ações como a matrícula online e o Guia das Orientações Curriculares da Educação Especial, a Rede Municipal de Ensino de Maceió viu o número de alunos com deficiência crescer. Em 2014, a rede contava com 1.981 estudantes registrados nessa modalidade de ensino, segundo dados do Sistema para Administração e Controle Escolar (SisLAME), e viu o número crescer, em 2017, para 3.309 alunos. 

O “empurrãozinho virtual” tirou muitas mães e responsáveis das famosas filas por uma vaga nas escolas. Já a especialização do serviço, abriu portas para alunos com vontade de aprender. “Essa mudança de postura foi muito significativa para a Educação. Ao facilitar o acesso, ganhamos mais alunos e, ao mesmo tempo, melhoramos o atendimento, tornando-o mais especializado”, disse o prefeito Rui Palmeira. 

Dos jovens com deficiência que frequentam as escolas de Maceió, 2.494 fazem parte do Atendimento Educacional Especializado (AEE), sendo 1.804 nas 78 Salas de Recursos Multifuncionais (SRM) do Município e outros 690 em quatro instituições conveniadas.

Ainda segundo o prefeito, o Guia das Orientações Curriculares da Educação Especial para a Inclusão – documento pedagógico desenvolvido a partir da cooperação entre a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e o PNUD, - foi fundamental para a capacitação de voluntários e tem sido instrumento importante nos processos formativos dos professores de AEE da Semed.

 “O trabalho feito em parceria com o PNUD nos deu condições de iniciar um processo para tornar as escolas mais inclusivas, com mais sociabilidade, tolerância e solidariedade. O Guia segue seu papel fundamental de orientar a gestão escolar a saber como ela deve se comportar em relação às pessoas com deficiência. O Município, o aluno e a família saem ganhando”, pontuou o prefeito.