Futebol

Presidente do CSA pede afastamento do cargo por 90 dias

Paulo Victor Malta | 15/05/19 - 15h44 - Atualizado em 15/05/19 - 16h10
Diretoria do CSA se reuniu no CT do Mutange na última terça e anunciou venda do mando de campo da partida com o Flamengo | Henrique Pereira / Rádio Pajuçara FM Maceió

Após a repercussão da venda do mando de campo da partida com o Flamengo para Brasília, o presidente do CSA, Rafael Tenório, confirmou que vai pedir o afastamento do cargo por 90 dias. O dirigente já comunicou ao presidente do Conselho Deliberativo, Raimundo Tavares, e deve tornar oficial a documentação em breve. 

Tenório disse que decidiu se afastar após a forte repercussão sobre a venda de mando de campo e que vai utilizar o tempo para refletir. O vice-presidente executivo Omar Coelho ficará à frente do clube neste período. Ainda segundo Tenório, o planejamento com o departamento do futebol e a rotina diária do clube seguem normalmente sob o comando da diretoria. O CSA deve se manifestar em breve sobre a licença do presidente executivo. 

Jogo em Brasília

Após uma reunião a portas fechadas no CT do Mutange, na terça-feira (14), o CSA anunciou oficialmente a venda do mando de campo do jogo com o Flamengo, pela 9ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. Assim, o confronto entre Azulão e Urubu, que aconteceria no Estádio Rei Pelé, no dia 12 de junho, vai ser realizado em Brasília, longe de Maceió. Os dirigentes não divulgaram o valor da venda. 

Segundo os dirigentes, o valor arrecadado com a venda do mando de campo será investido no clube, com contratações para o time de Marcelo Cabo e também auxílio na reforma do CT do Mutange. A diretoria tem enfrentado fortes críticas da torcida azulina por meio das redes sociais. Há também quem defenda o contraponto de ter o investimento para contratação de reforços para a equipe.