Alagoas

PRF-AL já registrou quase 30 acidentes envolvendo animais na pista em 2021

Bruno Soriano | 13/10/21 - 16h14 - Atualizado em 13/10/21 - 16h24
Em agosto deste ano, cavalo morreu após ser atingido por veículo na AL-101 Sul, em Marechal Deodoro | Cortesia ao TNH1

Os acidentes envolvendo animais na pista são, há muito, motivo de preocupação para quem trafega pelas ruas, avenidas e rodovias da capital e interior do estado. O problema não mais se resume às localidades rurais. Afinal, tornou-se motivo de dor de cabeça, inclusive, nos grandes centros urbanos, em decorrência do abandono de animais – a maioria cavalos – às margens da via pública, comprometendo a segurança de motoristas e pedestres.

Os dados reforçam uma estatística preocupante. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), este ano já foram registrados 26 acidentes envolvendo animais e veículos de tração animal nas rodovias federais que cortam o estado, perfazendo uma média de quase um sinistro por semana. 

A campeã é a BR-316, que concentrou 10 acidentes e quatro pessoas gravemente feridas. Em todos os casos, os sinistros ocorreram após animais invadirem a pista. Foram nove mortes em razão de acidentes (36 no total) dessa natureza no ano passado. Ninguém perdeu a vida, este ano, devido à colisão com animal de médio ou grande porte em Alagoas.

Por sua vez, o Batalhão de Polícia Rodoviário (BPRv), a quem compete a fiscalização das rodovias estaduais, não respondeu à reportagem. Já a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) informou que, até 30 de setembro deste ano, havia registrado apenas a ocorrência do último domingo (10), quando duas pessoas ficaram feridas após a colisão entre um veículo de passeio e uma carroça, em trecho da Avenida Menino Marcelo.

Mesma sorte, porém, não teve o condutor de uma motocicleta que trafegava, também no domingo, pela rodovia AL-220, nas proximidades do acesso ao município de Monteirópolis, onde bateu de frente com um cavalo. Manoel Messias dos Santos, de 51 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

A orientação, portanto, continua a mesma. Afinal, no trânsito, devem prevalecer a prudência e o respeito à sinalização e, sobretudo, ao limite de velocidade das vias. Para se ter uma ideia, o impacto de um carro a 80 km/h em um cavalo equivale a uma queda livre de um prédio de 25 andares.

No caso de acidente em rodovia federal, além de orientar o condutor envolvido, a PRF também tenta localizar o dono do animal para que o mesmo o retire da pista. Quando o proprietário não é localizado, os agentes, então, acionam o Município para o recolhimento.

Vale lembrar, ainda, que abandonar animais às margens de rodovias pode configurar contravenção penal, com pena de até dois anos de detenção.