Polícia

Reconstituição de morte de irmãos é interrompida por ausência de militares

14/07/16 - 08h41 - Atualizado em 14/07/16 - 09h35
Reprodução / TV Pajuçara

A reconstituição da morte dos irmãos Josivaldo e Josenildo Ferreira, e do pedreiro Reinaldo da Silva Ferreira, de 46 anos, ocorrida em março deste ano no conjunto Village Campestre II, parte alta de Maceió, teve de ser interrompida por volta das 23h dessa quarta-feira (13).

O problema foi a ausência dos policiais militares envolvidos na ocorrência. Eles teriam se recusado a participar da reprodução simulada, conforma apurou a reportagem da TV Pajuçara, no local.

Segundo informações da Perícia Oficial, apenas duas testemunhas participaram do simulado, que foi iniciado durante a tarde de ontem.

No dia do crime, três militares participaram da ação diretamente e outros dois chegaram logo em seguida, para dar apoio à ocorrência.

Eles alegam que os dois irmãos eram suspeitos e estariam armados, enquanto a família dos jovens diz que eles não deram nenhum motivo para a ação policial, e não possuíam arma. A terceira vítima morreu após ser atingida por bala perdida.

A coordenadora da Delegacia de Homicídios, delegada Rebeca Cordeiro, contou que as diferenças entre as versões dos policiais e das testemunhas reforçam a importância da participação de todos os envolvidos na reconstituição.

O laudo final do que foi levantado durante o simulado será apresentado no prazo de 30 dias.