Televisão

Record estreia hoje mais uma superprodução

05/07/16 - 10h13 - Atualizado em 05/07/16 - 10h41

O sucesso da saga de Moisés e sua aventura para libertar o povo hebreu do Egito, retratada em “Os Dez Mandamentos”, ganha continuidade na tela da Record.

Após a morte do profeta, entra em cena a novela bíblica “A Terra Prometida”, que narra a vida e a luta de Josué (Sidney Sampaio), um guerreiro dotado de coragem, fé e determinação.
Cabe a ele a difícil missão de comandar as doze tribos de Israel na conquista de Canaã. O folhetim, escrito por Renato Modesto, estreia nesta terça-feira (5), às 20h30.

Ficha técnica
Escrita por Renato Modesto
Com colaboração de AimarLabaki, Ecila Pedroso, Stephanie Mendes, Jaqueline Vargas e Marcos Lazarini
Direção geral de Alexandre Avancini
Direção de conteúdo de Cristiane Cardoso
Estreia: 05/07
Horário: 20h30
Antecessora: “Os Dez Mandamentos – 2ª temporada”, de Vivian de Oliveira.

Sidney Sampaio
Alexandre Slaviero – Maquir
Altair Rodrigues – Eliazafe
Ana Barroso – Darda
André Ramiro – Jesana
Andréa Avancini – Sama
Antônio Gonzalez – Grok
Ariela Massoti – Laís
Armando Amaral – Elizafá
Bernardo Velasco – Eleazar
Beth Goulart – Léia
Brendha Haddad – Inês
Bruno Palatão – Muralha
Caetano O’Maihlan – Setur
Carla Diaz – Melina
Castrinho – Farduk
Cláudio Gabriel – Elói
Cristiana Oliveira – Mara
Daniel Erthal – Isaque
Daniel Villas – Racom
Danilo Sacramento – Arauto
Day Mesquita – Ioná
Diego Amaral – Tupak
Douglas Sampaio – Rune
Dudu Oliveira – Jogli
Elizangela – Milah
Ernani Moraes – Pedael
Fabio Villa Verde – Aiúde
Felipe Folgosi – Elieber
Gabriel Gracindo – Melquias
Gilberto Torres – Mibar
Guggo Morales – Samuel
Guilherme Boury – Iru
Guilherme Leme Garcia – Elidade
Igor Rickli – Rei Marek
Iran Gomes – Zuma
Iran Malfitano – Comandante Yussuf
João Bourbonnais – Elias
Juliana Boller – Chaia
Juliana Kelling – Neziá
Juliana Silveira – Rainha Kalesi
Kadu Moliterno – Acã
Leonardo Branco – Comandante Tibar
Leonardo Miggiorin – Otniel
Letícia Medina – Livana
Leticia Tomazela – Liora
Lino Correa – Paltiel
Louise Marrie – Ruth
Luciana Braga – Yana
Marcos Reis – Kadmo
Marcos Winter – Sacerdote Merodaque
Marisol Ribeiro – Acsa
Maytê Piragibe – Jéssica
Miguel Costa – Gael
Milhem Cortaz – Calebe
Miriam Freeland – Raabe
Myrella Victória – Lila
Nívea Stelmann – Noemi
Osmar Silveira – Temá
Paloma Bernardi – Samara
Paulo Cesar Grande – Haniel
Paulo Goulart Filho - Talmal
Paulo Hamilton – Uzi
Pedro Henrique Moutinho – Sandor
Priscilla Uba – Tirda
Rachel Erlich – Adélia
Rafael Sardão – Salmon
Rafaela Mandelli – Ula
Raphael Vianna – Tobias
Raquel Queiroz – Finéias
Raymundo de Souza – Quemuel
Ricky Tavares – Zaqueu
Roberto Bomtempo – General Kamir
Roberto Frota – Rei Durgal
Rodrigo Phavanello – Gibar
Tatsu Carvalho – Boã
Thaís Melchior – Aruna
Valéria Alencar – Laila
Walter Breda – Orias
Yaçanã Martins – Adara
Zeca Carvalho– Quenaz

Um novo líder

A trama de “A Terra Prometida” começa em 1200 a.C. num acampamento hebreu na localidade de Sitim, no deserto de Moabe. Lá, após a morte de Moisés, o povo hebreu vê Josué se destacar como seu novo líder.

Considerado um homem de fé, ele conta com o apoio de seus aliados, o sacerdote levita Eleazar (Bernardo Velasco) e o líder da tribo de Judá Calebe (Milhem Cortaz), para conseguir cumprir a missão, ordenada por Deus, de conduzir seu povo à Canaã e de liderar as doze tribos de Israel.

Obstáculos
Para alcançar Canaã, os hebreus precisam superar grandes desafios. O primeiro deles é o Rio Jordão, que na época estava caudaloso. Além dos obstáculos naturais, Josué guia seu povo em uma temível batalha contra os Cananeus, que dominam aquela região, e contra povos pagãos, idólatras, excêntricos e violentos.

Entre os maiores inimigos dos hebreus estão o rei Marek (Igor Rickli), a rainha Kalesi (Juliana Silveira), o comandante chefe de Jericó, Tibar (Leonardo Branco), o rei Durgal (Roberto Frota) e o prefeito do reino de Ai, Kamir (Roberto Bomtempo).
Confrontos e Milagres
A primeira batalha que os hebreus enfrentam é contra o fortificado reino de Jericó, conhecido por suas muralhas duplas, que além de altas e largas, dão a impressão de ser um obstáculo intransponível. Mas Deus age em favor de seu povo.

Auxiliados por marcantes milagres, Josué e seus liderados atravessam o Jordão, veem as temíveis muralhas desabarem ao som de trombetas e vencem com bravura cada um dos reinos inimigos.

Desconfiança

Para dificultar ainda mais a vida de Josué, o grupo enfrenta problemas dentro do próprio acampamento hebreu. Muitos não aceitam o fato de Josué ser o líder que substituiu o profeta Moisés à frente da missão.

Seu principal rival é o vilão Acã (Kadu Moliterno), que recebe o apoio dos filhos Melquias (Gabriel Gracindo) e Gibar (Rodrigo Phavanello) para destruir o rival.

Líder disputado por duas irmãs

Em meio ao desafio de guiar o seu povo, Josué se envolve com a bela Aruna (Thaís Melchior), uma jovem corajosa que usa sua espada para guerrear ao lado de soldados homens. O romance entre os dois não conta com o apoio da irmã dela, Samara (Paloma Bernardi), uma garota geniosa que também é apaixonada por ele. Para afastar sua irmã de Josué, ela tem o apoio de sua mãe, a traiçoeira Léia (Beth Goulart).

Romances em meio à guerra

Mesmo com as dificuldades encontradas nas disputas travadas com os demais povos, os hebreus arrumam tempo para viver histórias de amor. É o caso do guerreiro Salmon (Rafael Sardão), que se apaixona perdidamente por uma prostituta de Jericó chamada Raabe (Miriam Freeland), que, por auxiliá-lo como espiã, éacolhida pela família do rapaz.

O passado de Raabe faz com que o casal passe por situações de preconceito e humilhação, provocadas principalmente pela ex-namorada dele, a ciumenta Jéssica (MaytêPiragibe), e pela fofoqueira do acampamento, Mara (Cristiana Oliveira).
A trama também é marcada pela paixão proibida vivida pelos jovens Livana (Letícia Medina) e Maquir (Alexandre Slaviero), provenientes de tribos diferentes. A guerra entre os diferentes povos faz com que os dois mantenham o relacionamento às escondidas. No entanto, a partir do momento em que a jovem descobre que seu amado não é honesto como imaginava, Livana cede aos encantos de outro guerreiro, Rune (Douglas Sampaio).
Tristeza de alguns
A bondosa Sama (Andréia Avancini) passa por momentos difíceis. Ao descobrirem que ela não pode ter filhos, ela é obrigada a aceitar que seu marido Boã (Tatsu Carvalho) se case com outra mulher. Para piorar a situação, seu marido escolhe a dissimulada Ruth (Louise Marrie) como segunda esposa, atrapalhando ainda mais a vida de Sama.

Outra personagem que passa por problemas é Tirda (Priscilla Uba), A moça delicada morre de vergonha ao lado de um marido grosso e sem-educação, chamado Haniel (Paulo César Grande). Já o casal Chaia (Juliana Boller) e Zaqueu (Ricky Tavares) precisa conviver com a tristeza da separação. Apaixonados um pelo outro, os dois veem seu romance interrompido pelo vingativo soldado Tobias (Raphael Vianna).
Uma dolorosa derrota
Após vencerem o povo de Jericó, os hebreus chegam confiantes para o ataque contra o reino de Ai, liderado pelo excêntrico rei Durgal (Roberto Frota). Para decepção do povo de Israel, eles sofrem uma dura e vergonhosa derrota.
Arrasado, Josué não entende o fracasso da investida. Porém, em seu encontro com Deus, ele percebe que o culpado pela derrota foi o vilão Acã (Kadu Moliterno), que contrariou a vontade divina ao roubar tesouros durante um combate. Para que os hebreus se livrem do pecado, Acã e seus filhos são executados.

Somente após a morte de Acã, o povo de Israel volta a entrar em disputacontra o reino de Ai. Desta vez, alcançam sucesso ao vencerem a batalha final, na qual Deus realiza mais um milagre, permitindo a Josué controlar o sol, de forma com que o astro fique no meio do céu por um dia inteiro.
Falsos aliados
As vitórias do povo de Deus começam a deixar os inimigos com medo. Assim, o rei de Gibeão, Zareg, e sua corte abandonam a cidade e vão disfarçados ao encontro dos hebreus, fingindo ser um povo de bem longe, bastante simples e aliado.

Num primeiro momento, os gibeonistas conseguem ser bem recebidos. Entretanto, a farsa dura pouco tempo, já que logo a verdade vem à tona. Como castigo, Zareg e sua corte tornam-se servos dos hebreus.
Ao saber de mais uma vitória do grupo de Josué, o rei de Jerusalém, Adonizeque, resolve reunir outros quatros povos e formar uma coalizão para combater os hebreus. Porém, mais uma vez, Josué sai vitorioso.

A conquista de Canaã e as doze tribos de Israel - Trama da Record estreia estreia nesta terça (05) - Foto: Edu Moraes/Antonio Chahestian/ Divulgação 1/5


Sofrimento pela amada e sucessivas vitórias
Mesmo com as novas vitórias de sua tribo, Josué passa por momentos de sofrimento. Tudo porque as vilãs Samara e Léia armam um golpe levando o líder a pensar que sua amada Aruna está morta. Porém, nem isso desanima o enviado de Deus em sua missão.

À frente de seu povo, Josué vence mais de quarenta reinos inimigos, um por um, confirmando cada vez mais o domínio do povo de Israel sobre Canaã.
Disputa considerada invencível
Após diversas vitórias, o povo hebreu esta à frente de um de seus maiores desafios. Eles precisam enfrentar o conhecido rei Jabim, governante de Hazor e considerado invencível pelos demais povos. Mais uma vez, Deus age e faz com que Israel alcance a vitória.
Além disso, a amada Aruna volta à cena, para alegria de Josué, que então descobre que a falsa morte dela foi uma armação da irmã e da mãe de Aruna. Com poucos inimigos pela frente, o líder dos hebreus percebe que falta pouco tempo para finalmente ver seu povo livre das batalhas.
A divisão entre as doze tribos e o adeus a Josué
Após uma grande passagem de tempo, Josué está bem mais velho, vivendo feliz e ao lado de sua amada esposa. É neste momento que Deus ordenaa ele quedivida as terras de Canaã entre as doze tribos. Após mais uma passagem de tempo, o líder já se tornou um ancião. Ao perceber que sua morte está chegando, ele convoca os líderes de cada uma das tribos, os oficiais e os juízes para seu último discurso.
Nele, Josué relembra as vitórias e aventuras que o povo hebreu viveu desde a saída do Egito até a conquista de Canaã. Ele orienta o povo a continuar servindo a Deus. Seu último ato é usar uma grande pedra como testemunho da aliança feita entre todo o povo. Ele a coloca debaixo de um carvalho, tornando a região um lugar santo. Josué morreno local após completar 110 anos. Seu sepultamento é a cena final de “A Terra Prometida”.

Elenco vasto e conhecido

O elenco é um dos destaques do folhetim. Com mais de 80 personagens, atores conhecidos do público foram contratados pela Record e estreiam na emissora paulista após extensa carreira na Globo, como a atriz Elizângela, com mais de 50 anos de profissão, quase todos dedicados à emissora da família Marinho.

Outra atriz que faz sua estreia na Record é Cristiana Oliveira, que despontou na novela “Pantanal” (1990), da Manchete, e depois emplacou mais de dez novelas na Globo. Situação semelhante a de Nívea Stelmann, que estava afastada da telinha há cinco anos.

Após interpretar importantes personagens em tramas da TV Tupi e da Globo, Kadu Moliterno é outro rosto novo na Record. Já Ernani Moraes, conhecido por interpretar tipos engraçados em folhetins da Globo, faz sua estreia em novelas da emissora. Antes de “A Terra Prometida”, ele já havia atuado na série bíblica “Milagres de Jesus” (2014).

Além de novas aquisições, o folhetim bíblico conta com o retorno de Marcos Winter, que não participava de uma produção da Record desde 2005, e outros nomes conhecidos do público, como Beth Goulart, Felipe Folgosi, Juliana Silveira, Leonardo Miggiorin, Paulo Cesar Grande, Raymundo de Souza, Roberto Bomtempo, Sidney Sampaio e Walter Breda.

Autor e diretor

O ator e novelista Renato Modesto faz sua estreia como autor solo de uma novela em “A Terra Prometida”. Seu ingresso na dramaturgia ocorreu nos anos 80 no teatro. Desde então, encenou mais de 20 peças. Como ator de TV, esteve nos elencos de “Fascinação” e “Pérola Negra” no SBT.

Desde a década de 90, passou a roteirizar peças, com destaque para “O Amor Venceu”. Seus primeiros trabalhos como roteirista na telinha foram na Globo em “Como uma Onda”, “Araguaia” e “Desejo Proibido”.

Na Record, trabalhou como coautor de “Máscaras” e foi responsável pelo texto da série “Milagres de Jesus”. Modesto também se destaca na literatura com obras de romance e coletâneas de contos.
Já a direção geral fica mais uma vez a cargo do experiente Alexandre Avancini. Sua estreia foi em 1994, pela TV Globo, onde integrou as equipes de direção das novelas “Pátria Minha” e “Quatro por Quatro”.

No mesmo canal, ainda dirigiu os trabalhos dos folhetins “História de Amor”, “Por Amor” e “Uga Uga”. Desde 2005 na Record, Avancini foi o responsável pela direção dos sucessos “Prova de Amor”, “Vidas Opostas”, “Caminhos do Coração” e “Os Dez Mandamentos”.