Futebol Nacional

Santos passa pelo Palmeiras nos pênaltis e chega à oitava final consecutiva

24/04/16 - 20h53 - Atualizado em 24/04/16 - 20h59
Futebol Interior

O futebol, mais uma vez, que uma linha muito tênue separa heróis de vilões. Rafael Marques, herói no tempo normal, mas vilão na cobrança de pênaltis. Fernando Prass, tantas vezes heróis no Palmeiras, desta vez foi vilão. Melhor para o Santos que confirmou a hegemonia no Campeonato Paulista e garantiu-se na oitava decisão seguida. O Peixe venceu o Verdão nos pênaltis, por 3 a 2, na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, após empate por 2 a 2 no tempo normal.

O time santista chegou a abrir 2 a 0 com gols do atacante Gabriel, mas sofreu o empate no final com gols do atacante Rafael Marques. Nas penalidades, os donos da casa foram mais eficientes. O próprio Rafael Marques e Fernando Prass desperdiçaram suas cobranças pelo time palestrino.

Esta é a oitava final consecutiva que o Santos chega no Paulistão. Nas sete edições anteriores, o time conseguiu vencer quatro, sendo a última sobre o próprio Palmeiras. O time terá pela frente o Audax, que surpreendeu o Corinthians, neste sábado, ao vencer por 4 a 1 nos pênaltis, após empate por 2 a 2 no tempo normal na Arena Corinthians. As finais serão disputadas nos próximos domingos (1º e 8 de maio), às 16h. Os locais serão definidos nesta segunda-feira pela Federação Paulista de Futebol (FPF).

Em compensação, o Palmeiras amarga a segunda eliminação em menos de duas semanas, já que caiu na primeira fase na Libertadores. Agora, o time paulistano terá cerca de 20 dias para se preparar para a estreia do Campeonato Brasileiro. O primeiro jogo acontecerá nos dias 14 ou 15 de maio contra o Atlético (PR), em São Paulo.

DOMÍNIO SANTISTA

Desde os primeiros minutos, o Santos mostrou porque ostenta uma longa invencibilidade na Vila Belmiro. Com muita propriedade, o time alvinegro assumiu as rédeas da partida e acuou o Palmeiras. E logo aos dois minutos, já saiu a primeira polêmica. O meia Vítor Bueno pegou sobra na entrada da área e chuta no braço do meia Roger Guedes. O árbitro mandou seguir.

Ocupando o campo de ataque, o Peixe continuou a rondar a área do goleiro Fernando Prass. Aos nove minutos, saiu a primeira grande oportunidade para os alvinegros. O meia Lucas Lima cobrou falta pela direita, a bola passou por todo mundo e explodiu no peito do arqueiro.

Aos 19 minutos, o clássico voltou a ter um lance polêmico em favor dos santistas. Após uma bola alçada na área, o zagueiro alvinegro Gustavo Henrique tentou cabeceou e o zagueiro palmeirense Vítor Hugo acertou um chute no mesmo. A arbitragem mais uma vez não marcou nada.

VERDÃO CHEGA, MAS...

A primeira finalização a gol do Verdão aconteceu somente aos 34 minutos. E aconteceu somente em uma jogada individual de Roger Guedes. Fato que evidencia a falta de conjunto do time de Cuca no jogo. O meia passou pelo volante Thiago Maia e Gustavo Henrique, mas concluiu em cima do goleiro Vanderlei, que espalmou por cima do gol.

Quando o time paulistano parecia começar a crescer no jogo, os donos da casa trataram de balançar as redes. Lucas Lima deu ótima enfiada de bola para o atacante Gabriel. O camisa 10 invadiu a área, fintou Egídio, deixou Vítor Hugo no chão e bateu no canto direito de Fernando Prass.

JOGO LIQUIDADO?

Precisando buscar, no mínimo o empate, o Palmeiras se viu obrigado a arriscar-se mais ao ataque. Apesar deste cenário mais propício para novos gols, a partida teve ainda menos oportunidades claras. Sobretudo, porque o Santos não parecia muito afoito a liquidar o jogo. Esperava o momento certo para sacramentar a classificação.

Neste meio tempo, o Verdão seguiu apresentando enormes dificuldades no setor de criação, onde Robinho e Roger Guedes não conseguiram abastecer Gabriel Jesus e Alecssandro. Uma das raras chegadas alviverdes saíram aos 16. Gabriel Jesus roubou a bola do zagueiro David Braz, invadiu a área e bateu por cima do gol. Uma chance incrível desperdiçada.

O lance perdido foi emblemático para a atuação palmeirense. Aos 28 minutos, Gabriel, o santista, mostrou porque hoje é mais preparado que a joia adversária. Após receber cruzamento do lateral Zeca, o camisa 10 mostrou frieza para superar Fernando Prass.

O segundo gol de Gabriel parecia ter liquidado o jogo. O problema é que Rafael Marques, que entrara na vaga de Gabriel Jesus, recolocou o Verdão no jogo de forma histórica. Ele marcou dois gols aos 42 e aos 43. No primeiro, ele recebeu na área e bateu na saída do goleiro. No segundo, desviou cruzamento de cabeça.

PENALIDADES

Na cobrança de pênaltis, o Santos foi mais eficiente, convertendo três de quatro cobranças com David Braz, Zeca e Victor Ferraz. Lucas Lima teve cobrança defendida por Fernando Prass. No Palmeiras, Cleiton Xavier e Jean marcaram. Vamderlei defendeu as penalidades de Lucas Barrios e Rafael Marques, enquanto Fernando Prass chutou para fora.