Alagoas

Sementes chinesas em Alagoas: Ministério da Agricultura orienta quem receber material pelos Correios

Redação TNH1 com TV Pajuçara | 02/10/20 - 14h45 - Atualizado em 02/10/20 - 15h40
Reprodução

Com Alagoas na rota das sementes misteriosas vindas da China, algo que tem intrigado os brasileiros desde o mês passado, o programa Fique Alerta, da TV Pajuçara, entrevistou nesta sexta-feira (2) o chefe da Divisão de Defesa Agropecuária, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, André Brandão Alves, que está à frente da investigação. Ele passou orientações sobre o que deve ser feito caso alguém receba um pacote contendo as semenetes. 

"De fato, a orientação é que não sejam abertas essas embalagens. Se por ventura alguém receber sementes que não têm autorização do Ministério da Agricultura para essa importação e que não tenha identificação reconhecida, deva encaminhar esse material para unidade mais próxima do Ministério da Agricultura. Em cada estado nós temos uma superintendência, em Alagoas também. E também os órgãos de defesa do estado, eles estão orientados para poder estarem recolhendo esse material e encaminhando para as análises devidas. Nós fazemos análise de qualidade e de risco fitossanitário", explicou. 

O chefe da Divisão de Defesa Agropecuária alertou ainda para o risco de possíveis doenças, disseminação de pragas e introdução de espécies exóticas ao ambiente brasileiro. 

"O Ministério de Agricultura, junto aos outros entes federais, está apurando e levantando informações, inicialmente estamos fazendo nossa parte de analisar esse material, reconhecer esse material, ou seja, identificar a espécie e os possíveis riscos. Mas o grande recado a dar para a população é esse, qual seria o risco de estar plantando ou até mesmo jogando no lixo? Uma serpente, que é um ser vivo, pode estar germinando e pode estar trazendo pragas, disseminando pragas, introduzindo espécies que sejam exóticas a nossa cultura, que não esteja no Registro Nacional de Cultivares do Brasil". 

"É muito importante a gente observar esse tipo de situação como um risco para a nossa saúde também, não só do meio ambiente, mas a nossa, de quem manipula. A gente não sabe se tem algum tipo de agrotóxico ao qual essa semenete foi submetida. Enfim, são diversos riscos. As partes das investigações não foram concluídas, não temos nenhum resultado para divulgar, isso caberá a gestão central em Brasília para poder fazer o comunicado dos resultados e possíveis finalizações de apuração", concluiu. 

Assista à entrevista a Wilson Junior:

Alagoas entrou para o mapa de estados que registraram o recebimento de pacotes misteriosos de sementes com origem em países asiáticos, como a China, Malásia e Hong Kong. De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), até essa quinta-feira, dia 1º, foram contabilizadas 181 denúncias de pessoas que receberam pacotes de sementes em todo o Brasil. Além de Alagoas, segundo a pasta, foram notificados casos em  mais 16 estados brasileiros e no Distrito Federal.