Alagoas

Setor de bares e restaurantes pede mais rigidez nas fiscalizações para evitar restrições no segmento

TNH1 | 27/05/21 - 10h12 - Atualizado em 27/05/21 - 14h04
Itawi Albuquerque

O presidente da Associação de Bares e Restaurantes de Alagoas (Abrasel), Thiago Falcão, pediu aos poderes públicos fiscalizações com mais dureza para coibir o avanço da Covid-19 no Estado, assim como evitar novas restrições ao setor econômico. 

Nessa quarta-feira, 26, o boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) mostrou que a taxa de ocupação de leitos de UTI atingiu 92% e o sinal de alerta foi ligado para o Governo de Alagoas.

Em um vídeo divulgado na internet, Thiago Falcão confirmou que houve reuniões entre representantes de bares e restaurentes e autoridades do poder público nessa quarta-feira (26).

Ele admitiu que há possibilidade de novas medidas do Governo que afetem o segmento, sem descartar o cenário de fechamento de bares e restaurante, caso a situação não melhore. Falcão pediu mais rigor nas ações combativas ao descumprimento do decreto.

"Ontem fizemos um movimento muito forte em relação aos poderes públicos, estaduais e municipais. Pedimos mais fiscalizações para que possamos punir somente quem está transgredindo o decreto, de forma individual, e não responsabilizando todas as empresas por uma minoria", contou no início da filmagem.

"Esse aumento de ocupação de UTIs traz uma preocupação muito grande ao nosso setor, de aumento de restrições, de possibilidade de fechamento, e principalmente dentro dos sinais que vêm mostrando nas últimas pesquisas, que mostram que quase 80% do segmento operou em prejuízo em abril", continuou.

O presidente da Abrasel explicou ainda que o poder público, os empresários e a população precisam "andar juntos" no cumprimento das medidas sanitárias e destacou que milhares de pessoas dependem do funcionamento de bares e restaurantes para manutenção de empregos.

"A gente pede que puna de forma individual quem não quer cumprir e faz um apelo não somente ao poder público, através das fiscalizações, aos empresários, no cumprimento do decreto, mas principalmente à população que siga as recomendações de uso de máscara, de distanciamento social, não só dentro do estabelecimento, mas nas suas casas, quando convida amigos e familiares, nas reuniões em outros locais", disse. 

"É um momento delicado que estamos vivendo, e a atitude individual pode ser agravante a milhares de pessoas que dependem do segmento de bares e restaurantes, que precisam deles abertos, que tenham a manutenção de empregos", concluiu.

Assista:

Secretário de Saúde admite revisão de restrições

O secretário de Saúde Alexandre Ayres publicou na noite dessa quarta numa rede social que o Governo vai revisar as medidas restritivas, ampliar os leitos de UTI e aumentar a fiscalização para combater a pandemia no Estado.

Ayres destacou que a taxa de ocupação de UTIs em Alagoas chegou a 92%, de acordo com o último boletim. Além disso, 18 pacientes, na faixa etária de 17 a 30 anos, deram entrada em estado grave nas unidades de saúde apenas no dia de ontem.