Mundo

Terremoto de magnitude 7,2 deixa mortos e destrói prédios no Haiti

Folhapress | 14/08/21 - 15h05 - Atualizado em 14/08/21 - 15h08
Reprodução Twitter

Um terremoto de magnitude 7,2 na escala Richter atingiu o Haiti na manhã deste sábado (14), com o epicentro no noroeste da ilha de Hispaniola, a 160 km de Porto Príncipe, a capital do país. O sismo foi registrado às 8h29 locais (9h29 de Brasília). Dez minutos depois, houve uma réplica de magnitude 5,2.
O diretor da Defesa Civil haitiana, Jerry Chandler, confirmou à agência de notícias AFP que há mortos, embora não exista um balanço oficial de vítimas. Nas redes sociais, vídeos gravados por moradores mostravam prédios residenciais derrubados e pessoas correndo em meio a escombros e gritando. O embaixador do Brasil em Porto Príncipe, Marcelo Baumbach, afirmou que não há brasileiros entre as vítimas da tragédia. As autoridades já entraram em contato com os residentes na ilha.

"O terremoto atingiu principalmente a região de Jérémie, onde as construções são mais precárias. Foi sentido também em Porto Príncipe, mas menos.", disse. "A internet está funcionando na capital e tem sido o principal meio de comunicação para informar sobre o ocorrido". Os principais danos teriam ocorrido nas cidades de Jérémie e Los Cayos. Há imagens de edifícios religiosos, casas e escolas que teriam sido afetados.

A Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera dos EUA chegou a emitir um alerta de tsunami na costa do Haiti, que logo foi cancelado.
"Acordei e não tive tempo de colocar os sapatos. Nós vivemos o terremoto de 2010 e tudo o que pude fazer foi correr, minha cama estava tremendo. Todos gritavam para que saíssemos às ruas", disse Naomi Verneus, 34, à agência de notícias Reuters.

O terremoto chega em um momento de instabilidade política e de crise econômica do país. No último dia 7 de julho, o então presidente Jovenel Moïse foi assassinado a tiros em sua casa por um grupo de mercenários. A primeira-dama Martine também ficou ferida. Em uma rede social, o primeiro-ministro do Haiti, Ariel Henry, que tomou posse há menos de um mês, prestou solidariedade. "Apresento minhas condolências aos parentes das vítimas do violento terremoto que ocasionou muitas perdas em vidas humanas e materiais em vários departamentos do país", escreveu.

Há 11 anos, um terremoto de 7 graus causou uma terrível destruição no país. Foram mais de 200 mil mortos, 300 mil feridos e 1,5 milhão de desabrigados.
Os tremores deste sábado foram sentidos também na ilha de Cuba e na Jamaica, embora não haja, até o momento, relatos de mortes, feridos ou danos materiais. O centro de sismologia cubano disse ter registrado um terremoto de magnitude 7,4.

"Todo mundo está realmente com medo. Já se passaram anos desde um terremoto tão grande", disse Daniel Ross, morador da província cubana de Guatánamo, à Reuters. Ele informou que sua casa está firme, mas a mobília balanç