Alagoas

Ufal: início de 2021 pode ter registrado maior número de casos em uma semana, em Alagoas

Redação TNH1 | 12/01/21 - 15h23 - Atualizado em 12/01/21 - 16h15
Fiocruz

O boletim do Observatório Alagoano de Políticas Públicas Para Enfrentamento à Covid, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), referente à primeira semana de 2021 afirma que os dados seguem evidenciando o aumento da transmissão de Covid-19 em Alagoas. Segundo os pesquisadores da Ufal, os 2.748 novos casos confirmados e as 51 mortes registradas correspondem a um aumento de 23% e 6%, respectivamente, quando comparados com a última semana de 2020.

O boletim chama a atenção para o aumento no ritmo da testagem na primeira semana, mas ressalta a presença de 8.677 casos suspeitos. O que indica que, caso seja mantida a proporção de 56% de casos positivos entre os exames RT-PCR divulgados pelo Lacen na primeira semana epidemiológica de 2021, Alagoas teria quase cinco mil casos a mais do que os notificados e divulgados neste período. “Assim, teríamos ultrapassado a maior incidência de casos registrada em uma SE desde o início da pandemia em Alagoas, que ocorreu na 25ª SE, quando foram notificados 6.811 casos". 

Para os pesquisadores, o crescimento dos números em Alagoas se deve à “incapacidade de processamento dos testes atrelada à desarticulação com a Atenção Primária à Saúde (Equipes de Saúde da Família – ESF e Núcleos de Ampliados de Saúde da Família – NASF)”. Essa desarticulação, para o Observatório, “se traduz na ineficiência na gestão dos casos e no dimensionamento da pandemia no estado, comprometendo a tomada de ações por parte do poder público”. 

Leia o boletim na íntegra.