Eleições

Unidade Popular terá candidaturas próprias para as eleições à Prefeitura de Maceió

Assessoria UP | 17/09/20 - 15h38
Divulgação

A primeira convenção eleitoral da Unidade Popular, em Maceió, foi realizada nesta quarta-feira (16). A reunião foi realizada virtualmente, por uma plataforma de transmissão, mas os pré-candidatos e a executiva do partido foram para a sede do Sindicato dos Jornalistas, para participar dos debates e receber a imprensa. O partido Unidade Popular foi legalizado pelo Tribunal Superior Eleitoral, em 10 de dezembro de 2019, portanto, a UP tem menos de uma ano de existência legal. Mas a militância que construiu a legenda integra movimentos sociais e populares com mais de 20 anos.

Lenilda Luna foi o nome aprovado para disputar o cargo de Prefeita de Maceió. A jornalista de 53 anos é funcionária pública e integra a Assessoria de Comunicação da Universidade Federal de Alagoas. Iniciou a atividade nos movimentos sociais nos grupos de jovens da Igreja Católica, nos anos 80, e depois passou a atuar nos movimentos sociais, especialmente como educadora popular em Sindicatos de Trabalhadores Rurais, em Alagoas e no Sul da Bahia, onde trabalhou no Centro de Educação e Cultura do Trabalhador Rural e na Central Única dos Trabalhadores (Regional Cacaueira) por cerca de seis anos.

De volta a Alagoas, em 1994, Lenilda Luna atuou como pedagoga na Educação de Jovens e Adultos, foi a presidente da comissão eleitoral da primeira eleição direta para diretores das Escolas Municipais de Maceió, foi coordenadora pedagógica das Escolas Municipais Zumbi dos Palmares (Clima Bom) e Hermínio Cardoso (Fernão Velho). Também foi repórter do telejornalismo local, cobrindo casos emblemáticos, como o Caso PC Farias, Gangue Fardada, CPI do Narcotráfico, entre outros.

Na convenção, Lenilda falou da emoção e da grande responsabilidade de ter sido indicada pela Unidade Popular. “Tenho muito orgulho de ter sido escolhida por esse coletivo para representar a Unidade Popular em sua primeira participação eleitoral em Maceió. Tenho ainda mais orgulho de ter ao meu lado essa mulher organizadora da sua comunidade e liderança de catadores e catadoras, que é Vânia Gomes. Não somos pré-candidatas que vão visitar a periferia da cidade para conhecer seus problemas. Nós e a militância da UP somos moradores das periferias. Sabemos bem quais são as questões de transporte coletivo, saneamento básico e geração de renda que precisamos implementar”, destacou a pré-candidata.

Vânia já tinha sido apresentada como pré-candidata à vereadora, mas ao receber o convite para compor a chapa majoritária, ficou muito entusiasmada. “Conheço a Lenilda Luna dos tempos em que ela vinha fazer as reportagens sobre as nossas dificuldades no antigo lixão de Maceió. Fiquei muito feliz com esse encontro nas fileiras da Unidade Popular. Agora vamos caminhar juntas na construção dessa Maceió que se volta para seu povo mais pobre. Vamos representar a luta do povo da Vila Emater, dos bairros atingidos pela Braskem e de todas as pessoas que querem uma moradia digna e todos os outros direitos básicos garantidos. Como diz o lema do Movimento de Lutas nos Bairros, só o povo salva o povo”, afirma a pré-candidata a vice-prefeita da UP Maceió.

Proporcionais

A Convenção da Unidade Popular aprovou ainda três pré-candidaturas para a Câmara de Vereadores: Magno Francisco, professor de Filosofia; Christian Medeiros, professor; e a candidatura coletiva Elas Sim, representando as mulheres, composta por Mona Spinassé, Vanessa Sátiro, Lays Calisto e Liliane Pereira. “Nossa candidatura coletiva representa a luta das mulheres por mais direitos e igualdade na sociedade machista e patriarcal em que vivemos”, disse Mona Spinassé. Já Christian destacou a importância da participação política dos jovens. “É um grande desafio, mas sei que não estou sozinho nessa missão”, declarou ele.

Magno Francisco destacou que é fundamental ter candidaturas populares para a Câmara Municipal. “A cada eleição, os ricos de Maceió usam o poder econômico para ocuparem espaços públicos para representarem seus interesses. Enquanto isso, os trabalhadores e trabalhadoras vivem numa miséria crescente, no caos social do desemprego e da fome. É por isso que aceitei o desafio de lançar minha pré-candidatura. Sou professor, comunista e tenho uma vida dedicada à causa dos oprimidos e da classe trabalhadora, sem medo de enfrentar as elites”, ressaltou o pré-candidato à vereador.