Esporte

Velhos conhecidos, Leclerc e Verstappen são os novos grandes rivais na F-1

Julianne Cerasoli | 21/07/19 - 09h04 - Atualizado em 20/07/19 - 18h19
Reprodução

Eles nasceram com apenas 17 dias de diferença: Max Verstappen em 30 de setembro, e Charles Leclerc em 16 de outubro de 1997. Ambos filhos de pilotos - o pai de Max, mais famoso, Jos, com passagem pela Fórmula 1, e o de Charles, Hervé, não teve dinheiro para passar da F-3. E desde a época em que ainda eram pré-adolescentes e eram rivais nos karts, sabiam que, um dia, iam se reencontrar na categoria máxima do automobilismo.

Menos de 10 anos depois, Verstappen (Red Bull - Holanda) e Lecrerc (Ferrari - Mônaco) já estão dando os primeiros passos daquela que é tida como a nova grande rivalidade da Fórmula 1.
Com temperamentos completamente diferentes, o agressivo Verstappen e o mais comedido Leclerc não se bicavam na época em que se cruzavam nas pistas de kart pela Europa, como lembrou o piloto da Ferrari depois de assistir ao vídeo de uma das brigas dos dois que viralizou depois que um toque entre eles decidiu o GP da Áustria, no fim de junho.

"É engraçado porque foi exatamente o contrário do que aconteceu na Áustria. Eu estava falando que tinha sido só um incidente normal e ele estava dizendo que eu joguei ele para fora da pista. Sete ou anos depois, a mesma coisa aconteceu, mas ao contrário, com nós dois pilotando para equipes grandes da F1. É bem legal ver isso e ver aquele vídeo me fez lembrar de todo o caminho que percorremos desde aquela época quando a gente era criança e sonhava em estar na F-1 e agora estamos aqui", afirmou o piloto da ferrari, assegurando que a relação entre os dois não é mais tão ríspida quanto antigamente.

"A relação melhorou muito ao longo dos anos. Na época do kart, não éramos amigos. Mas isso é normal: quando você é jovem e algo acontece, na hora o cara vira seu inimigo - e o mesmo aconteceu para ele em relação a mim. Isso foi lá em 2012, 2013. Ainda somos jovens, mas amadurecemos muito desde aquela época e agora as coisas mudaram. Acho que conseguimos dividir as coisas e a relação é melhor."

Apesar de terem se encontrado muito nos kars, Verstappen e Leclerc nunca correram juntos nas categorias de base. Isso porque o holandês teve uma carreira relâmpago, indo direto para a F-3 Europeia, em 2014, e logo sendo contratado pela Red Bull para estrear na Fórmula 1, pela Toro Rosso, no ano seguinte.

Já Leclerc teve uma carreira mais tradicional: em 2014 fez a Fórmula Renault 2.0, depois foi para a F-3 Europeia, GP3, F-2 e chegou à F-1 ano passado, correndo pela Sauber. Neste ano, portanto, é a primeira vez que eles, agora pilotando por Ferrari e Red Bull, efetivamente se encontram na pista desde 2013.

"Evoluímos muito desde aquela época mas sei que ele é um piloto agressivo", diz Leclerc, enquanto Verstappen encara com normalidade a rivalidade. "Ele é definitivamente um ótimo piloto. Caso contrário, não estaria nem na F-1, muito menos na Ferrari. É só olhar para a nossa idade e você chega à conclusão de que vamos ser aqueles que estarão lutando por vitórias porque, em determinado momento, Lewis [Hamilton, atualmente com 34 anos] vai ficar velho demais. Então é normal que nós, os mais jovens, assumamos."

Curiosamente, Verstappen não parece querer alimentar uma rivalidade com Leclerc, pelo menos por enquanto. Depois da última corrida, na Inglaterra, no último domingo, em que travou uma batalha intensa com o monegasco, ele se limitou a dizer que o rival "se defendeu muito bem", e salientou que não quis "arriscar demais" porque eles ainda estavam no início da prova.

Mas ninguém duvida que esta história ainda terá vários capítulos ao longo dos anos. Tanto, que um dos comentários mais curtidos do tal vídeo da época do kart faz uma pergunta visionária: "Quem está aqui por causa da batida de Verstappen e Leclerc no GP do Japão de 2024?"

Com ambos tendo 21 anos e estando entre os grandes na Fórmula 1, é de se esperar mesmo que este seja apenas o começo de uma rivalidade que já está tomando o lugar dos 'veteranos' Sebastian Vettel, que já condicionou a renovação de seu atual contrato ao formato adotado pelas novas regras, que entram em vigor em 2021, e Lewis Hamilton, outro que avisou que pretende encerrar sua carreira na categoria em cerca de cinco anos.