Brasil

YouTube derruba canal de Sara Giromini após expor nome e localização de menina estuprada

Istoé | 18/08/20 - 13h59 - Atualizado em 18/08/20 - 14h37
Reprodução

A conta do YouTube da militante extremista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, foi excluída da plataforma. Ao tentar acessar o link da canal, a rede apresenta a seguinte mensagem: “Esta conta foi encerrado por violar os Termos de Serviço do Youtube”.

No último final de semana, a blogueira expos o nome de uma menina de 10 anos de idade que foi estuprada pelo tio e que teve a gravidez interrompida por determinação da Justiça. Procurado, o YouTube ainda não se pronunciou.

A divulgação de dados da vítima de estupro aconteceu no domingo (16) por meio das contas de Sara no Twitter, Instagram e YouTube. Na ocasião, a militante de extrema-direita publicou o primeiro nome da criança e o endereço do hospital que faria o procedimento para interromper a gravidez, previsto em lei. Ela também chamou o médico responsável pela unidade de ‘aborteiro’.

A postagem foi posteriormente apagada. Após a divulgação, um grupo de religiosos organizou um protesto na frente da unidade de saúde e chegou a chamar a vítima menor de idade e o médico responsável pelo procedimento de ‘assassinos’. Os manifestantes chegaram a formar uma barreira humana para tentar impedir a entrada do profissional no hospital.