Política

Após habeas corpus, prefeito de Maribondo deixa presídio com tornozeleira eletrônica

Redação TNH1 | 25/12/19 - 15h11
Arquivo

Quatro dias depois de ter sido preso, o prefeito de Maribondo Leopoldo Pedrosa conseguiu habeas corpus, concedido pela Justiça, e foi solto na noite dessa terça-feira, 24, véspera de Natal. Ele deixou a unidade prisional com uma tornozeleira eletrônica e deve ficar recluso na residência onde mora. A prisão domiciliar foi confirmada por um agente penitenciário que acompanhou o procedimento de liberação.

Segundo o agente, o alvará de soltura chegou ontem à noite no Presídio Baldomero Cavalcanti, para onde Pedrosa havia sido transferido. Um funcionário que já havia encerrado o expediente teve que retornar ao presídio para colocar a tornozeleira no prefeito, para assim, ele ser liberado. A prisão preventiva foi substituída por medidas cautelares.

Pedrosa foi preso na noite de sexta em um bar de Arapiraca. Ele estava com uma pistola e policiais recolheram um quilo de cocaína que estava guardado na casa dele. Na ocasião, a polícia estaria cumprindo um mandado de prisão pelo crime de homicídio, do qual ele é suspeito. 

Nos últimos anos, Pedrosa tem sido alvo de denúncias. Em 2017, ele foi preso por agredir sua esposa e a sogra. No ano passado, ele foi acusado pelo então deputado estadual Dudu Hollanda de espancar e estuprar sua companheira, Meiry Emanuella de Oliveira Vasconcelos, ex-mulher do prefeito.