Alagoas

Após novo aumento no diesel, transporte complementar anuncia paralisação nesta quarta-feira em Maceió

Paulo Victor Malta | 28/09/21 - 16h06 - Atualizado em 28/09/21 - 16h24
Imagem de arquivo meramente ilustrativa | Alysson Antonio / Cortesia ao TNH1

Após a Petrobras anunciar mais um aumento do Diesel A para as distribuidoras, o Sindicato dos Transportadores Complementares de Passageiros em Alagoas (Sintrancomp/AL) confirmou que vai haver paralisação dos transportes na manhã desta quarta-feira, 29, em Maceió. 

Ao TNH1, o presidente do Sintrancomp/AL, Maércio Ferreira, afirmou que os seguidos aumentos no preço do combustível estão deixando a operação inviável. 

"Mais um (aumento) hoje, né?! A pauta da gente é a inviabilidade financeira que chegou ao transporte. Nós estamos há mais de três anos sem reajuste da passagem. Com esses aumentos de Diesel praticamente toda semana, isso está deixando a operação inviável, não estão fechando as contas. Estamos pedindo ao governador que comece a subsidiar o transporte porque senão vamos ter que pegar esse repasse e passar para a passagem", alertou.

O protesto está previsto para começar às 6h no Terminal Rodoviário de Maceió, no Feitosa, onde cerca de 300 veículos de transporte complementar devem sair em carreata às 10h. Os motoristas vão passar pelo Tribunal de Justiça, pelo Palácio dos Martírios e encerrar o movimento em frente à Assembleia Legislativa do Estado, no Centro da capital. 

"Preferimos que o Estado, junto à Arsal, comece a fazer uma política pública para o transporte, que a gente não venha a repassar tudo isso para os passageiros. Como outros estados têm feito pelo Brasil, estados e municípios têm subsidiado parte do transporte para que consumidor final não arque com toda conta. Vemos na nossa pauta para que o estado possa tirar o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do combustível, dos derivados de pneus, peças de manutenção... O estado pode assumir a taxa de fiscalização que pagamos mensalmente à Arsal. Tem a questão das gratuidades também... São N motivos em que o estado pode ajudar a categoria para não estar repassando todo esse déficit ao consumidor", argumentou Ferreira.

O Sintrancomp/AL disse que enviou a pauta para a Agência de Regulação de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal) e que amanhã vai protocolar em ofício a ser entregue no final da carreata. 

A reportagem está em contato com a assessoria de comunicação da Arsal para saber o posicionamento da agência sobre a paralisação e as propostas feitas pelo sindicato. A matéria será atualizada assim que houver resposta.