Mundo

Atentado suicida em mercado de rua na Síria mata 40 pessoas

Ataque é atribuído ao Exército Islâmico, que ainda controla bolsões do Sul do país; outras explosões foram registradas hoje na mesma região

25/07/18 - 16h51 - Atualizado em 25/07/18 - 16h54
Reprodução


Pelo menos 40 pessoas morreram em vários atentados que atingiram nesta quarta-feira (25) a cidade de Al Sweida, no sul da Síria, e em combates entre forças governamentais e o grupo terrorista Estado Islâmico (EI), informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Quatro homens-bomba do EI detonaram os explosivos que carregavam em seus cinturões perto de um mercado de rua e em outros pontos da cidade. Também houve explosões em outros locais de Al Sweida ao amanhecer, explicou o Observatório.

Entre os mortos estão 28 soldados das forças leais ao presidente sírio, Bashar Assad. Não há ainda informações sobre civis mortos. Pelo menos 45 pessoas foram feridas. Nas fileiras do EI, 16 combatentes morreram, entre eles os quatro suicidas.

    O Observatório acrescentou que ocorrem violentos confrontos no norte de Al Sweida, depois que o grupo radical atacou várias cidades, tomando o controle de Al Matuna, Duma, Al Shibki, Al Shuraihi e Tel al Basir. As tropas de Damasco contra-atacam e tentam recuperar o domínio dessas áreas, bombardeadas por aviões.

    Embora atribuídos ao EI, nenhum grupo revin dicou até o momento os ataques de hoje. Nas últimas semanas, as forças do governo sírio, com apoio militar russo, intensificaram suas ofensivas no Sul do país com o objetivo de eliminar bolsões controlados pelo EI, segundo a rede de televisão CNN. O grupo de Khaled ibn Walid, filiado ao EI, continua a atuar na região.

    Desde o início dessas operações no Sul, milhares de pessoas fugiram. Entre os deslocados estão centenas de voluntários dos Capacetes Brancos e seus familiares, acolhidos por Israel.