Brasil

Auxílio Brasil: pagamentos do mês de junho começam a partir do dia 17

DCI | 04/06/22 - 07h49
Foto: Reprodução/Metrópoles

Atendendo a cerca de 18 milhões de famílias no país, o Auxílio Brasil realiza mensalmente o pagamento de, no mínimo, R$ 400 para parte da população brasileira. A liberação do benefício, que atende famílias em situação de extrema pobreza, segue um calendário determinado pelo governo federal.

Em junho, o Auxílio Brasil começará a ser pago na terceira semana do mês.

Neste mês, as parcelas do Auxílio Brasil começarão a ser liberadas no dia 17 e o pagamento seguirá até o dia 30, sendo realizado de acordo com o número final do Número de Inscrição Social (NIS).

Confira o calendário:

  • NIS terminado em 1 – recebe 17 de junho
  • NIS terminado em 2 – recebe 20 de junho
  • NIS terminado em 3 – recebe 21 de junho
  • NIS terminado em 4 – recebe 22 de junho
  • NIS terminado em 5 – recebe 23 de junho
  • NIS terminado em 6 – recebe 24 de junho
  • NIS terminado em 7 – recebe 27 de junho
  • NIS terminado em 8 – recebe 28 de junho
  • NIS terminado em 9 – recebe 29 de junho
  • NIS terminado em 0 – recebe 30 de junho

De acordo com o Governo Federal, o Auxílio Brasil será pago em junho até quatro meio: contas da poupança social digital, conta corrente ou especial de depósito à vista ou conta contábil.

No caso da conta contábil, o crédito é realizado apenas quando o beneficiário não possui nenhuma das outras modalidades de contas bancárias ou quando não é possível realizar o crédito por conta de impedimentos técnicos como bloqueio, suspensão inativação ou encerramento das contas.

Quem tem direito? - Para receber o Auxílio Brasil, as famílias precisam se enquadrar em alguns critérios de renda. O benefício atende pessoas em situação de extrema pobreza, aquelas que possuem renda familiar mensal per capita de até R$ 105,00, e pessoas em situação de pobreza, que possuem renda familiar mensal per capita entre R$ 105,01 e R$ 210,00.

Para receber o Auxílio Brasil, além de cumprir os critérios de renda, é preciso que a família esteja inscrita no Cadastro Único, um registro que permite ao governo saber quem são e como vivem as famílias de baixa renda no Brasil. Deste março deste ano, mês em que foi criado o aplicativo do Cadastro Único, é possível realizar um pré-cadastro no programa federal.

Nessa etapa inicial, é necessário informar os documentos de identificação obrigatórios das pessoas da família além de informações referentes ao domicílio, família, escolaridade, trabalho e remuneração. Em seguida, é necessário comparecer até um posto de atendimento do Cadastro Único em até 120 dias para confirmar as informações. No entanto, o Governo Federal destaca que a etapa de pré-cadastro não é obrigatória. Dessa forma, todo o processo pode ser realizado diretamente nas unidades do CadÚnico.

Para famílias que já recebiam o Bolsa Família, a transferência para o Auxílio Brasil foi realizada automaticamente. Além disso, as que já estão inscritas no CadÚnico mas não recebiam o Bolsa Família foram alocadas na fila de espera do Auxílio Brasil.