Futebol

Bastidores da Copa do Nordeste: ex-presidente revela compra de desembargador

Gabriel Amorim* | 26/06/24 - 08h36
Crédito: Itawi Albuquerque / TNH1

Paulo Carneiro, ex-presidente do Vitória, deu fortes declarações durante sua participação no canal Zona Mista, no YouTube, na noite dessa terça-feira (25). 

Em um trecho, Paulo confessou que comprou um desembargador para garantir que a Copa do Nordeste de 2003 fosse realizada. Naquele ano, a CBF adotou o sistema de pontos corridos para o Brasileirão, o que diminuiu a janela dos estaduais e excluiu, em um primeiro momento, os regionais do calendário.

Com a decisão da CBF, o Nordestão foi organizado pela Liga do Nordeste e algumas das maiores forças do futebol da região não participaram do torneio - Bahia, Confiança, Fortaleza, Náutico, Santa Cruz e Sport.

Indignado com a forma que o torneio foi deixado, Paulo Carneiro entrou com uma ação contra a confederação e o Grupo Globo.

“O presidente do Fortaleza saiu, o do Santa Cruz e o do Náutico saíram para poder enfraquecer e dizer que não ia ter campeonato porque os quatro saíram, mas eles que armaram. Aí nós fizemos o campeonato que a gente ganhou até do Fluminense de Feira, em 2003. Aí eu entrei com uma ação contra a CBF e contra Globo, peguei um advogado bom para c#r#lh#, e eu comprei um desembargador no Rio”, revelou.

Assista:

Após a fala, a live foi derrubada. Nas redes sociais, trechos viralizaram e internautas reagiram. “Se um time sem expressão compra um desembargador, imagina os ‘Marvado’ kkkkkkkkkk”, disse um. “Futebol é isso, nem sempre se consegue guardar segredos”, brincou outro.

Em 2003, o Vitória foi campeão da Copa do Nordeste após bater o Fluminense de Feira na decisão. No primeiro jogo, o Leão arrancou um empate por 1 a 1 no Joia da Princesa, e segurou o empate sem gols no Barradão. Com o gol fora de casa, o Leão levantou a taça.

*Estagiário sob supervisão