Brasil

Deputados alagoanos serão os últimos a votar no processo de impeachment

14/04/16 - 16h55 - Atualizado em 14/04/16 - 17h19
Reprodução/R7

O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), decidiu mudar nesta quinta-feira (14) a ordem de votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. De acordo com a nova estrutura, os deputados de Alagoas serão os últimos a votar.

Segundo determinação de Cunha, haverá uma alternância entre os deputados de Estados do Norte e do Sul, começando por parlamentares de Roraima. Anteriormente, o presidente da Câmara tinha decidido que a votação começaria pelos Estados do Sul e Sudeste do país.

De acordo com a nova ordem prevista para a votação, será respeitada a ordem alfabética dentro de cada Estado. A decisão de Cunha foi lida hoje no plenário pelo primeiro secretário da Câmara, deputado Beto Mansur (PRB-SP).

“A chamada terá início por Estado da região Norte e, em alternância, será chamado um Estado da região Sul e vice-versa. E assim sucessivamente passando pelas demais regiões. A ordem dos Estados seguirá o painel da Casa e, por analogia, a ordem das capitais. (...) A chamada nominal dos deputados dentro do mesmo Estado ocorrerá por ordem alfabética”, disse.

Cunha assegurou que "não será a ordem de votação que determinará o resultado da votação de domingo, mas sim o voto pessoal". A votação está marcada para começar às 14h.

O presidente da Câmara disse ainda que "a ordem de votação deverá ser Estado a Estado e não deputado a deputado, conforme prevê o painel".

A decisão provocou irritação entre deputados da base, como Orlando Silva (PCdoB-SP). O socialista defendeu que a votação deveria começar pelo Norte e seguir em ordem geográfica até o Sul. Silva disse que Cunha manobrou novamente e teria até "contado os votos" antes de decidir a nova ordem.

Anteriormente, Cunha havia determinado o início da votação pelo Sul em direção ao Norte, respeitando a ordem alfabética dentro de cada Estado. Agora, Roraima será o primeiro Estado a votar, seguido do Rio Grande do Sul e assim por diante. 

A decisão foi tomada pouco antes de o STF (Supremo Tribunal Federal) discutir em plenário as pendências do rito de impeachment, depois que o PCdoB e a AGU (Advocacia-Geral da União) entraram com mandados de segurança questionando a ordem de votação na Câmara.

A ordem de votação será a seguinte:

1º - Roraima

2º - Rio Grande do Sul

3º - Santa Catarina

4º - Amapá

5º - Pará

6º - Paraná

7º - Mato Grosso do Sul

8º - Amazonas

9º - Rondônia

10º - Goiás

11º - Distrito Federal

12º - Acre

13º - Tocantins

14º - Mato Grosso

15º - São Paulo

16º - Maranhão

17º - Ceará

18º - Rio de Janeiro

19º - Espírito Santo

20º - Piauí

21º - Rio Grande do Norte

22º - Minas Gerais

23º - Paraíba

24º - Pernambuco

25º - Bahia

26º - Sergipe

27º - Alagoas