Política

Estudantes protestam contra projeto "Escola Livre" na frente da ALE

26/04/16 - 15h10 - Atualizado em 26/04/16 - 17h21

Jovens ligados à União Nacional dos Estudantes (UNE) e profissionais da educação fazem protesto contra o projeto Escola Livre, na frente da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), na Praça Dom Pedro II, no Centro de Maceió. O objetivo é pressionar para que os mantenham o veto do governador ao projeto de autoria do deputado Ricardo Nezinho (PMDB), na sessão da tarde desta terça-feira, 26.

De acordo com o texto do projeto, o profissional da educação deve manter postura de neutralidade nos campos político, ideológico e religioso, mas ao mesmo tempo deve tratar com o mesmo destaque e profundidade as mais variadas vertentes de pensamentos e conceitos no âmbito acadêmico.

"É um grande retrocesso, porque a escola é um espaço da pluralidade, da política,  e está cada vez mais dando espaço para moral", disse Marcos Mesquita, professor de psicologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), que protestava contra a aprovação do projeto.

Para o Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal), o projeto Escola Livre estabelece censura os educadores. Segundo o Sinteal, os professores estariam impossibilitados de opinar em sala de aula, diante de seus alunos.

Pela proposta do projeto Escola Livre, de acordo com texto publicado no site da ALE, "fica vedada a prática de doutrinação política e ideológica em sala de aula, bem como a veiculação, em disciplina obrigatória, de conteúdos que possam induzir aos alunos a um único pensamento religioso, político ou ideológico".