Interior

Feirante que esfaqueou cadela por pegar pedaço de carne tem prisão convertida em preventiva

Eberth Lins | 25/08/21 - 10h16 - Atualizado em 25/08/21 - 10h44
Cadela ainda recebeu cuidados veterinários, mas não resistiu aos ferimentos e morreu | Foto: Reprodução

O comerciante preso em flagrante por esfaquear uma cadela que pegou um pedaço de carne para se alimentar em Delmiro Gouveia, no Sertão de Alagoas, deve permanecer preso até conclusão do inquérito. A audiência de custódia foi realizada na manhã desta quarta-feira (25) e, após ação do Ministério Público Estadual (MPE), a prisão foi convertida em preventiva. 

A preventiva é um pedido do promotor Guilherme Diamantaras, que atua na cidade, e agora o comerciante deve ficar à disposição da justiça até que o inquérito seja finalizado pela Polícia Civil (PC) e a denúncia seja oferecida ao MPE. 

A agressão contra a cadela aconteceu à luz do dia em uma feira livre de Delmiro Gouveia e chocou a população pela crueldade. O animal, que chegou a ficar com as vísceras expostas, ainda foi socorrido e recebeu cuidados veterinários, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Veja o vídeo:

O caso está sendo investigado pelo delegado Rodrigo Cavalcante, que já adiantou ao TNH1 ter provas e testemunhas suficientes para atestar o crime. O comerciante está preso na Delegacia Regional de Delmiro Gouveia.

Lei endureceu pena contra agressores de animais

No ano passado, foi sancionada a "Lei Sansão", que endurece as penas para quem mutilar, machucar ou praticar crimes contra animais domésticos e silvestres. Com a nova lei, agressores podem pegar até cinco anos de prisão e ainda pagar multa. A lei anterior previa apenas detenção de três meses a um ano.