Alagoas

Governo de Alagoas cancela fases realizadas dos concursos da PM, PC e Corpo de Bombeiros

TNH1 | 29/10/21 - 11h20 - Atualizado em 29/10/21 - 15h55

A Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio de Alagoas (Seplag) anunciou nesta sexta-feira, 29, o cancelamento das fases já realizadas dos concursos das polícias Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros. Em vídeo postado no Instagram (assista abaixo), o secretário Fabrício Marques explica que a decisão foi tomada após o término da primeira fase da Operação Loki, que constatou a existência de um esquema de alcance nacional de tentativa de fraudes em concursos públicos, e por não conseguir, apesar das investigações, identificar exatamente quais foram os beneficiados com o esquema. 

 "A Seplag decidiu cancelar as fases já realizadas de três concursos da SSP após o resultado da primeira fase da operação Loki, deflagrada pela Polícia Civil. A investigação constatou a atuação de um esquema nacional criminoso que estaria agindo contra a lisura não só das provas da Polícia Militar de Alagoas, mas também dos certames da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros", anunciou o secretário.

"Eu queria enfatizar para vocês que temos esse item no edital. O item 15.27 diz o seguinte: 'se a qualquer tempo for constatado por meio eletrônico, estatístico, visual, grafológico ou por investigação policial, que o candidato se utilizou de processo ilícito, suas provas serão anuladas e ele será automaticamente eliminado do concurso público'. Mas pela impossibilidade da identificação dos beneficiários o Estado tomou a decisão pelo cancelamento das fases atuais. A gente vai retomar essas fases que já foram realizadas até agora. A decisão, já informada à Justiça, busca assegurar que apenas os candidatos que de fato possuam as qualificações necessárias ao ingresso no serviço público sejam os verdadeiros aprovados. A Seplag lamenta a medida que se faz necessária para que seja mantida a integridade e a transparência de um processo seletivo tão significativo para a população alagoana e repudia a ação dos envolvidos no crime", explicou Marques.

"A secretaria entende que a decisão tomada é a única que está alinhada aos princípios que rege a realização de um concurso público. E mais ainda, que pode honrar cada momento de estudo dedicado pelos candidatos ao ingresso no quadro de servidores públicos de Alagoas. Essa é a posição, a nossa decisão oficial do estado", enfatizou o secretário. Assista ao vídeo: