Justiça

Justiça decreta a prisão preventiva de mãe suspeita de assassinar a facadas a própria filha

Theo Chaves | 08/07/24 - 17h11
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

A Justiça de Alagoas decretou a prisão preventiva de Thamires de Oliveira Braga, que foi presa nesse último sábado, 8, suspeita de assassinar a facadas a própria filha, Laura Maria Nascimento Braga, de apenas sete anos.  A decisão foi proferida durante audiência de custódia, realizada nesse domingo (7). Laura Nascimento foi morta nesse sábado (6), em Rio Largo, região metropolitana de Maceió.

Na decisão, a juíza Darlene Lira Oliveira Davino cita o encerramento da fase de oitivas e a conversão da prisão em flagrante em preventiva, após parecer favorável do Ministério Público de Alagoas. 

"Encerrada a oitiva, o Ministério Público opinou pela homologação do Auto de Prisão em Flagrante e a sua conversão em Prisão Preventiva, tudo nos termos da mídia gravada. Por sua vez, a defesa técnica pugnou pela homologação do Auto de Prisão em Flagrante e a conversão da Prisão em Flagrante em liberdade provisória com medidas cautelares diversas da prisão, inclusive monitoramento eletrônico, tudo nos termos da mídia gravada. Após, a MM. Juíza proferiu DECISÃO, oralmente, conforme consta na gravação, com o seguinte dispositivo: POSTO ISSO, com fulcro nos artigos 311, 312 e 313, todos do CPP, homologo a prisão em flagrante e converto a prisão em flagrante de Thamiris Oliveira Braga, devidamente qualificada, em prisão preventiva, mantendo a flagrada recolhida no local em que se encontra. Expeça-se o competente mandado de prisão", disse a magistrada. 

O que se sabe sobre o crime

  • Apenas a mãe, de 44 anos, e a filha, identificada como Laura Maria, estavam em casa no momento da tragédia. O pai teria saído mais cedo para trabalhar;
  • O crime ocorreu entre 8h30 e 9h do sábado, 6, em uma residência localizada próximo à Praça do Galo, na cidade de Rio Largo;
  • De acordo com o delegado do 11º Distrito Policial, Alcides Andrade, que esteve no local e informou que a mulher estaria em surto psicótico quando cometeu o crime, a menina teria sido espancada antes de receber duas facadas, uma na região cervical, na altura do pescoço, e outra nas costas, mais abaixo, que pode ter perfurado o pulmão;
  • Vizinhos ouviram os gritos da criança. "Uma tia da menina arrombou a porta e ainda tentou socorrer a criança com massagem cardíaca e respiração boca a boca", disse o delegado.
  • Laura Maria chegou a ser encaminhada ao Hospital Geral Professor Ib Gatto Falcão, em Rio Largo, mas não resistiu. A mãe e o pai da menina foram levados para a Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP);
  • Segundo o delegado Alcides Andrade, ao ser interrogada ainda no local, a mãe ficou calada e não respondeu os questionamentos. Já o pai contou que não havia histórico de violência e nem maus tratos na relação entre mãe e filha. Mas disse que, após sofrer um acidente, a esposa passou a apresentar problemas psicológicos.