Mercado de Trabalho

Micro e pequenas empresas lideram saldo de empregos gerados em Alagoas

Ascom Sebrae-AL | 12/04/21 - 18h13 - Atualizado em 12/04/21 - 18h17

A análise do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do mês de fevereiro aponta que as micro e pequenas empresas (MPEs) continuam puxando a geração de empregos com carteira assinada no país pelo oitavo mês consecutivo, respondendo por 68,5% dos empregos formais criados em fevereiro de 2021. Em Alagoas, as MPEs garantiram um saldo de 2.075 empregos, liderando as vagas de empregos no estado.

Analista da Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae Alagoas, Fábio Leão, ressalta que os números surpreenderam o mercado em fevereiro, uma vez que a abertura de postos de trabalho foi maior que janeiro deste ano e também maior que fevereiro de 2020.

“Os números refletem o grande impulso do setor de serviços, seguido pelo setor de comércio. O mercado ainda sente os reflexos positivos do início do ano, quando a economia estava funcionando relativamente bem e os negócios estavam abertos, mesmo que com restrições”, afirma.

Fábio Leão também destaca que a economia reagiu bem, mesmo sem ainda contar com a liberação total dos recursos do auxílio emergencial. Enquanto as MPEs criaram um saldo positivo de empregos no estado, as médias e grandes empresas subtraíram 2.558 vagas.

Ele ainda enfatizou a importância da criação de novas soluções para dar suporte às pequenas empresas durante a pandemia.

“Isto significa que, mesmo com todas as dificuldades de acesso a crédito e de renegociação de contratos, as pequenas empresas seguem fazendo a diferença na economia local. Com o suporte adequado, essas empresas poderão fazer ainda muito mais, minimizando o impacto negativo da crise do coronavírus na economia local”, pontua.

Vacinas e decretos de isolamento

O analista do Sebrae também lembra que a chegada de mais vacinas, a flexibilização dos decretos e o início do pagamento do auxílio emergencial podem criar um ambiente um pouco mais favorável nos próximos meses.

“Se tudo correr conforme o esperado, a tendência é de crescimento nas vendas e de geração de mais empregos. No entanto, a oferta de vacinas não é constante e já observamos sinais de desaceleração da campanha por falta de imunizantes no Brasil. Por outro lado, a flexibilização do decreto governamental e o início do depósito do auxílio emergencial são sinalizações positivas para Alagoas”, reforça.

Fábio Leão complementa enfatizando que as expectativas são boas, mas é preciso cautela visto que o tamanho do auxílio emergencial é menor que do ano passado.

“A retomada dos programas de acesso a crédito do governo federal (como o Pronampe) e os esforços locais pelas agências de fomento e os bancos de desenvolvimento podem ajudar na geração de empregos e redução das demissões. Porém, os programas precisam ter continuidade para sustentarmos a tendência positiva no segundo semestre. Com a intensificação do programa de vacinação e ampliação dessas medidas, poderemos conviver com a pandemia de uma maneira menos dolorosa”, conclui Fábio Leão.

Atendimento remoto e presencial

Devido ao novo coronavírus, os empresários da pequena empresa podem contar com o atendimento do Sebrae de forma remota no período de 05 a 16 de abril. A equipe do Sebrae está mobilizada para atender as demandas dos empresários, que também podem contar com a estrutura de cursos online e gratuitos do portal EAD Sebrae com mais de 100 opções de cursos, basta acessar https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/cursosonline.

O empresário pode entrar em contato com a instituição pelos canais remotos e digitais, como o portal sebrae.com.br/alagoas, telegram t.me/sebraealagoas, whatsapp e Telefone 0800 570 0800, chat e e-mail fale.sebrae.com.br, instagram @sebraealagoas, twitter @sebraealagoas, facebook /SebraeAlagoas, youtube @sebraealagoas e o linkedIn Sebrae Alagoas.