Maceió

Programa vai pavimentar mais de 400 ruas na capital

Secom Maceió | 19/08/19 - 07h23 - Atualizado em 19/08/19 - 12h05
Programa vai investir R$ 420 milhões em obras de infraestrutura | Secom Maceió

O prefeito Rui Palmeira lança, nesta segunda-feira (19), o Programa Nova Maceió, que vai investir R$ 420 milhões para executar obras de infraestrutura em mais de 400 ruas da capital. Na ocasião, a primeira ordem de serviço do programa será assinada e vai beneficiar a Avenida José Moura Rocha, principal via de acesso ao Conjunto Maceió I, no Cidade Universitária.

O Nova Maceió levará mais de 400 mil metros quadrados de pavimentação, mais de 40 mil metros de rede de drenagem pluvial e mais de 100 mil metros de rede coletora de esgoto em cinco grandes obras que estão sendo licitadas nos bairros Cidade Universitária, Clima Bom, Tabuleiro dos Martins, Santa Lúcia e no Litoral Norte (Guaxuma, Garça Torta, Riacho Doce, Ipioca e Saúde).

Os recursos são provenientes do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), Banco do Brasil, Codevasf e Governo Federal, além de recursos próprios da Prefeitura de Maceió.

A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra) informou que, neste primeiro momento, a Rua Dr. José Moura Rocha, com extensão de 1,2 Km, será beneficiada com pavimentação, drenagem e passeio público. No local serão investidos R$ 3 milhões. Já no Benedito Bentes, a Rua Dr. Humberto Gomes de Barros, com extensão de 4.2 Km, também receberá pavimentação, drenagem e passeio público. O investimento será de R$ 7 milhões.

Com recursos da Codevasf, no valor de R$ 2 milhões, 3.8 km de ruas localizadas dos bairros do Tabuleiro, Jatiúca, Trapiche e Pajuçara também serão beneficiadas com serviços de pavimentação.

O objetivo do programa é impulsionar o desenvolvimento econômico, social e ambiental da cidade. A proposta é ampliar o serviço de esgotamento sanitário, minimizar os efeitos dos lançamentos de esgoto na orla marítima, levar esgotamento sanitário para bairros periféricos e viabilizar obras de pavimentação e mobilidade urbana. As obras irão beneficiar, diretamente, mais da metade da população da capital.