Brasil

Renan pegou propina de US$ 6 milhões, afirma Cerveró à Justiça

Presidente do Senado, onde chegou o processo de impeachment de Dilma, teria recebido valores ilícitos por meio do lobista Jorge Luz, segundo ex-diretor de Internacional da Petrobrás

18/04/16 - 20h54 - Atualizado em 18/04/16 - 20h58
Agência Brasil


O ex-diretor Internacional da Petrobrás e delator da Lava Jato Nestor Cerveró disse em depoimento ao juiz Sérgio Moro nesta segunda-feira, 18, que o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) recebeu propina de US$ 6 milhões por meio do lobista Jorge Luz, apontado como um dos operadores de propinas na Petrobrás, referentes a um contrato de afretamento do navio-sonda Petrobrás 10.000.

“(Jorge Luz) foi o operador que pagou os US$ 6 milhões da propina da sonda Petrobrás 10.000, foi o encarregado de pagar ao senador Renan Calheiros”, disse o delator ao ser questionado pela defesa de Salim Schahin sobre a atuação de Jorge Luz em relação às propinas recebidas por Cerveró. A propina teria sido repassada na época da contratação do navio-sonda, em 2006.

Neste momento da audiência, que envolveu acusações ainda sob investigação contra uma autoridade com prerrogativa de foro, o juiz Sérgio Moro interrompeu Cerveró e pediu para o delator comentar apenas o que tinha pertinência com a ação penal na qual ele depôs nesta tarde. O ex-diretor falou na ação em que é acusado de favorecer a Schahin na contratação para a operação de um navio-sonda da Petrobrás como uma forma de quitar a dívida do PT de R$ 12 milhões com o banco Schahin.

VEJA O TRECHO DO DEPOIMENTO EM QUE CERVERÓ CITA A PROPINA PARA RENAN CALHEIROS: