Alagoas

Setor de eventos em AL propõe comprovante de vacina e 50% do público para retomada em outubro

20/09/21 - 17h24 - Atualizado em 20/09/21 - 17h49
Divulgação

Público 100% vacinado, obrigatoriedade do uso de máscara de proteção e de aferição de temperatura, limpeza e desinfecção frequentes dos ambientes de maior circulação de pessoas, instalação de pontos de higienização com álcool 70%, vendas de ingressos on-line. Essas foram algumas das sugestões apresentadas pela Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape) e pela Federação das Associações Comerciais do Estado de Alagoas (FederAlagoas), na tarde desta segunda-feira (20), ao Poder Executivo Estadual para serem incluídas no plano de retomada das atividades do segmento em Alagoas. Após a entrega do documento constando tais contribuições, a Secretaria de Estado da Saúde se comprometeu em analisar os protocolos sugeridos e discutir a possibilidade do retorno escalonado de público para o próximo mês de outubro.

Durante o encontro com a Sesau e a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), o diretor regional da Abrape/Alagoas, Sérgio Feitosa, lembrou que o segmento de eventos foi o primeiro a cancelar sua agenda de atividades desde a decretação de emergência sanitária global causada pela Covid-19, tendo seguido todas as normas e protocolos estabelecidos pelas autoridades para evitar a disseminação do novo coronavírus. “Exatamente por acreditarmos na ciência e na seriedade das medidas adotadas pelos especialistas em saúde pública, nós ficamos parados por 18 meses. Tínhamos a consciência de que era necessário estarmos do mesmo lado para combater essa doença. Ocorre que, felizmente, a curva epidemiológica de vítimas da pandemia tem diminuído aqui no estado de forma bastante animadora. Os sistemas público e privado de saúde, já há algum tempo, não mais apresentam superlotação, inclusive, os hospitais de campanha foram desativados. Além disso, há unidades que não possuem mais sequer um paciente internado, sem falar na vacinação que, somente em Maceió, já atingiu quase 50% da população adulta. Então, a gente acredita que o nosso setor pode voltar a trabalhar com segurança”, explicou.

“É importante destacarmos que, em razão da necessidade do distanciamento social, que visava evitar as aglomerações, não somente as empresas promotoras de eventos paralisaram seus trabalhos. Toda a cadeia produtiva que gira em torno delas também foi igualmente afetada, como os prestadores de serviços de locações de espaços, móveis, decoração e materiais, artistas, produtores, operadores de som, técnicos de diversas áreas, dentre outros. Foram milhares de profissionais atingidos pela crise, que gerou um prejuízo de R$ 200 milhões, somente aqui em Alagoas”, frisou Sérgio Feitosa.

A proposta da Abrape

A proposta da Abrape é que, até dezembro, os eventos possam voltar com 100% da capacidade de público. No entanto, a retomada gradual começaria a acontecer a partir do próximo mês, com cerca de 50%. Na sequência, em novembro, esse limite aumentaria para 80%.

Acesso ao evento somente de pessoas imunizadas com as duas doses da vacina ou com a dose única, sendo obrigatória a apresentação do cartão de vacinação físico ou eletrônico; venda de ingressos, preferencialmente, por meio de sistema on-line, fazendo uso de aplicativos, sites, QR Code ou pix como forma de pagamento, disponibilização para os órgãos competentes e fiscalizadores da relação dos trabalhadores do evento e da quantidade de público para o devido acompanhamento de casos que por ventura venham a surgir; acessos exclusivos para a entrada e saída de pessoas; uso obrigatório de máscara de proteção e a devida sinalização de forma clara quanto a obrigatoriedade do seu uso, assim como a fiscalização pertinente; aferição obrigatória da temperatura dos públicos interno e externo, contratantes, staff e convidados, sem exceções; e instalação de pontos de higienização com álcool 70% nos acessos do evento, locais de alimentação e banheiros, entrada de brinquedos, corredores, escadas e rampas foram algumas das sugestões apresentadas.

A Abrape ainda sugeriu a limpeza frequentes dos ambientes de maior circulação, como recepção, banheiros e copa; desinfecção das salas onde existirão pessoas trabalhando, mantendo sempre as portas e janelas abertas, o que facilitará a circulação e a renovação de ar ambiente; e treinamento das equipes e designação obrigatória de um profissional da área técnica sanitária responsável pelas exigências do protocolo do evento.

“Nosso pedido é para que o próximo decreto estadual seja editado contendo um cronograma para retomada dos eventos em todas as suas modalidades, sendo elas esportivas, sociais, feiras, shows, congressos e congêneres, e que o percentual de público a ser liberado siga, de fato, o cenário epidemiológico de Alagoas. Ou seja, com a redução dos números de infectados e o aumento de cidadãos vacinados, libera-se gradativamente a quantidade de pessoas participantes”, destacou Sérgio Feitosa, enfatizando que o plano apresentado segue rígidos protocolos de segurança.

“E o compromisso que o setor produtivo assume é o de ser bastante rigoroso na execução desses protocolos e, caso haja qualquer mudança de cenário, respeitaremos as decisões do poder público”, detalhou Kennedy Calheiros, da FederAlagoas.

A sinalização do estado e do município de Maceió

O secretário estadual de Saúde, Alexandre Ayres, confirmou que, com a redução dos números da pandemia em Alagoas, é chegado o momento da volta dos eventos. “A proposta apresentada está completa e com as medidas de segurança que acreditamos que são necessárias para manter o controle dos dados. Então, assumimos o compromisso de discutir esses critérios com nossa equipe e dar um retorno ao segmento em breve. No entanto, já precisamos deixar acordado que, caso tenhamos uma piora no cenário pandêmico, vamos precisar retroagir”, disse ele.

À Prefeitura de Maceió vai caber a autorização para realização e a fiscalização de cada evento. Deverá ser a Vigilância Sanitária o órgão que ficará responsável por esse trabalho. “Se as regras forem obedecidas e a vacinação seguir avançando, temos certeza que os eventos serão autorizados. E a prefeitura está pronta para orientar e fiscalizar, de modo que tudo ocorra de forma segura”, afirmou o coordenador do Gabinete de Enfrentamento à Covid-19 da Prefeitura de Maceió, Claydson Moura.

Dentre as autoridades presentes, estavam o secretário da Sedetur, Marcius Beltrão, a secretária municipal de Turismo, Patrícia Mourão, e o vereador Chico Filho, além de dirigentes da Abrasel e do Convention Bureau.